Como seria passar 24 horas com a sua nutricionista?

O sonho de qualquer pessoa que procura uma vida mais saudável é ter um nutricionista à sua disposição 24h por dia para poder se consultar sempre que der na telha (E de graça, né? Convenhamos…) Eu, particularmente, cresci ouvindo isso. 

Mas vou contar um segredinho para você: talvez ter um nutricionista assim tãããão próximo não seja o sonho que todo mundo pinta. Se você não acredita em mim, continue lendo esse texto que vou explicar tudo direitinho. 

Minha nutricionista, no caso, é a minha mãe. Ela se formou aos 40 anos, e a essa altura da vida, já tinha três filhas criadas + um marido (vulgo papai) que viviam falando sobre como queriam emagrecer / ter uma vida mais saudável / blablabla… O que falávamos não passavam de palavras jogadas ao ar. Nunca fazíamos nada para realmente mudar nossos hábitos.  

Trocadilhos à parte, isso era um PRATO CHEIO para uma nutricionista recém-formada que precisava colocar em prática o que havia estudado por tanto tempo. Dito e feito. Viramos os ratinhos de laboratório da nossa nutri particular. 

À princípio ficamos eufóricos e contentes de começar a nos alimentarmos de forma diferente, mas o que não imaginávamos era que começariam aí os Dias de Restrição (escrito assim com maiúsculas para você entender a grandiosidade da coisa – ou pelo menos eu aposto que a minha mãe via as coisas assim).
Como seria passar 24 horas com a sua nutricionista?

A tal história das porções 

Se você já foi em um nutricionista, sabe que quando ele te passa uma dieta, ele coloca os horários que você deve se alimentar e a quantidade de porções. 

Café da manhã:  

– 1 porção de frutas;
– 1 porção de proteínas;
– 1 porção de leite ou derivados;
– etc. 

Na minha casa era i-gual-zi-nho. Nós, que estávamos acostumados a comer a quantidade que bem entendêssemos, agora precisávamos contar quantas colheres de arroz colocávamos no prato e, como se não bastasse, se nele tivesse o arroz como carboidrato, não poderia colocar a batata por ser da mesma classe que o arroz. 

Aliás… Esse é um dos grandes mistérios dessa história: por que minha linda mãezinha fazia arroz E batata, se eu não poderia comer os dois? Seria um experimento psicológico? Ela estava nos testando??? 

Bom, voltando aqui. Para uma pessoa que tinha zero hábitos saudáveis, uma mudança tão radical era quase tão boa quanto enfiar agulhas embaixo das unhas (#sqn). Então eu, estava muito mais feliz comendo tudo que eu queria e na quantidade que eu queria, demiti a minha mãe. 

Você pode até achar que cometi um grande erro, mas vou te explicar por que foi uma das melhores decisões! 

O que eu realmente queria era perder peso e ter uma vida mais saudável, mas sem fazer concessões. Chega a ser óbvio falar isso, mas parece que ALGUÉM PRECISA DIZER: se você não mudar nada na sua rotina, nada vai mudar. É isso. Você vai continuar a ser a mesma pessoa de sempre, com a mesma saúde de sempre. 

Eu não queria emagrecer. Queria “ser emagrecida”. O que estava acontecendo comigo era que eu me autossabotava. Enquanto no almoço eu comia porções exatas de carboidratos, depois dele eu comia um chocolate, depois uma bolacha (ou duas), um pedaço de bolo… HAHAHAHA. Minha mãe podia se iludir achando que a família estava se esforçando para mudar nossa alimentação (eu mesma acreditava nisso!), mas a verdade é que estávamos enfiando o pé na jaca. 

Minha mãe percebeu isso antes de mim, e por isso nunca me obrigou nem me forçou a comer nada. Ela orientava, mas não obrigava. E com o passar do tempo eu fui levando minha vida assim, comendo de forma errada, os alimentos errados, nas horas erradas. Só que chega um dia que você começa a ficar desconfortável com a maneira que você vive, minhas roupas não serviam mais, não conseguia subir um lance de escadas sem parecer que eu havia corrido uma maratona, eu não estava me sentindo bem comigo mesma. E foi nesse momento que eu cheguei onde deveria chegar, minha mente não só precisava mudar, ela QUERIA mudar. 

 

Mente e corpo: Best friends forever 

A maior dificuldade para alguém que quer mudar sua maneira de viver é dar o “start”. Sempre falamos “na segunda-feira eu começo!”. “Mas qual segunda?” “A próxima!” (Sempre a próxima)

Por isso, minha ex-nutricionista recém recontratada teve uma ideia que faria a família inteira mudar. É muito mais fácil fazer as coisas quando se tem incentivo, e foi isso que ela fez. Ela propôs uma competição para nós cinco: aquele que, dentro do período de três meses, perdesse o maior percentual de peso, seria o ganhador. Bem “biggest loser BR” (para quem não conhece, esse é um reality show onde os participantes são desafiados a queimar gordura).

Chamamos essa nossa brincadeira de “Quem perde, ganha” (sim, nosso programa familiar tinha até um título!). Basicamente, quem perdesse peso ganhava a competição, e mesmo quem perdesse a competição ganhava, como prêmio de consolação, um estilo de vida mais saudável. Era perfeito! 

Durante esses três meses aprendemos a disciplinar nossa mente, reeducar nossa alimentação, comer em intervalos menores e quantidades menores e se alimentar de coisas mais saudáveis. E isso se tornou uma rotina.  

No começo é claro que foi mega difícil, mas foi menos complicado do que a primeira vez que eu tentei mudar sem abrir mão de nada.  

Hoje, posso falar que você passar 24 horas com sua nutricionista é algo que muda sua mente. Minha mãe colocou uma cenoura na minha frente para me manter caminhando. Aí um hábito saudável puxou outro, e o resultado você já viu.

Aprendi muito sobre mim mesma. Comecei a investigar por que eu me sabotava e que tipo de relacionamento estava construindo com a comida.

Porque você pode tentar dez dietas diferentes. Se a sua mente não estiver alinhada com o seu corpo, você vai voltar para a estaca zero. Vai falar que DEVERIIIIIA fazer xyz, mas não vai fazer nada para alcançar esse resultado.

Na minha família, juntos, perdemos 47 quilos (quase o peso de uma criança)! Hoje temos hábitos muito mais saudáveis dentro e fora de casa, praticamos exercícios físicos com constância, coisas que pensávamos ser incapazes de parar de comer hoje já não nos fazem tanta falta. 

Acho que é o momento de você parar e pensar se sua mente está de acordo com as mudanças que você quer fazer, se você está disposto a fazer concessões alimentares para ter uma vida mais saudável. E nem é uma questão de peso, mas sim de saúde. 

Agora te pergunto: como você pode transformar sua mente e seu corpo em BFFs? Que “cenoura” (ou “incentivo”) você pode usar?  

Assinatura Desinchá

14
Comente aqui

avatar
7 Comentários
7 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
Thayná RamosRosimar Toso LinoThayná RamosKaique CândidoTatiana Feri Ferreira Recent comment authors
newest oldest
Branco Costa
Visitante
Branco Costa

Linda experiência! Foi o máximo participar desse desafio de quem perde ganha.

Thayná Ramos
Editor
Thayná Ramos

💚💚💚

Cláudia Castello
Visitante
Cláudia Castello

Essa nutri é muito esperta mesmo!! No final, todos ganharam!!

Thayná Ramos
Editor
Thayná Ramos

Esse foi o intuito mesmo! 💚

João Luiz Moreno
Visitante
João Luiz Moreno

Bom dia, texto está perfeito, pratico atividade física de segunda a sábado porem preciso focar na alimentação caso contrario não perde peso nenhum,

Thayná Ramos
Editor
Thayná Ramos

Que bom que gostou João!

Realmente praticar exercícios físicos e alinhar isso com uma alimentação balanceada é o melhor método para se ter uma vida mais saudável. 💚

Julia dos Passos Salvador
Visitante
Julia dos Passos Salvador

Achei esse texto interessantíssimo, quando vemos que realmente não da mesmo, é que vamos correr atrás do prejuízo.. Meu upgrand seria ter pessoas ao meu redor pra dividir esse fardo kkkkkkkkkkkkkk, ir pra academia sozinho não é legal.. acho que quando podemos dividir esses “obstáculos” com pessoas, fica mais fácil atingir o que queremos..

Obs.. : Se possível, pelo que escureçam, mais as letras dos textos, é praticamente branco no branco! E mesmo eu estando de óculos, se não selecionar pra ler, eu quase não enxerto.. Obrigada ♥

Thayná Ramos
Editor
Thayná Ramos

Que bom que gostou Julia!

Realmente é difícil manter um hábito quando todos a sua volta não estão alinhados com seu perfil. Mas que tal influencia-los a ter um mesmo estilo de vida que você? Seja aquela pessoinha que fica no pé mostrando as vantagens de ter uma vida mais saudável. HAHAH 💚💚

obs: Obrigada pelo feedback em relação a cor dos textos, já escurecemos para uma leitura mais fácil 😊

Tatiana Feri Ferreira
Visitante
Tatiana Feri Ferreira

Muito legal o q vcs fizeram…emagrecer nao é fácil mesmo..eu emagreci uns 15kg de 2014 ate 2018..foi gradualmente…n foi de uma vez…fui em uma nutri…estava com compulsão alimentar..etc…ai tratei..e agora estou bem..e comendo coisas saudáveis..e uma pizza no fds q ngm é de ferro de tbm..gosto muito de pizza de escarola..meu pai quer me matar..”vai comer pizza de mato”!😆😆😆😆😅😅😅😅😅

Thayná Ramos
Editor
Thayná Ramos

Hahahaha. Realmente não é fácil, mas quando pegamos gosto pela coisa fica muito melhor né?! E melhor ainda é quando percebemos que podemos comer coisas deliciosas (como pizza 💚) mas que ainda seja saudável. 😋🍕

Kaique Cândido
Visitante
Kaique Cândido

Uma forma divertida para perder peso. Acredito que quando todos da família estão juntos dando suporte um aos outros, o processo se torna mais leve ❤️ ótima iniciativa.

Thayná Ramos
Editor
Thayná Ramos

Que bom que gostou! 💚

O que realmente precisamos é encontrar aquilo que nos motiva a ser diferente e a fazer diferente. Depois desse passo, fica muito mais tranquilo você ter uma vida mais saudável. 💚

Rosimar Toso Lino
Visitante
Rosimar Toso Lino

Preciso dessa cenoura urgente,lindo o seu relato.

Thayná Ramos
Editor
Thayná Ramos

Que bom que gostou!! Quem sabe esse texto não se torne sua “cenoura”, não é mesmo?! HAHA