3 fatos sobre a depressão que todo o mundo tem que saber

O Brasil tem mais de 12 milhões de pessoas diagnosticadas com depressão e, segundo a OMS, até 2020 a doença vai ser uma das mais incapacitantes do mundo. 

Enquanto o assunto saúde mental não estiver em todas as rodas de conversa, vamos ter mais pessoas sem saber reconhecer os sintomas da doença e menos apoio a quem já tem o diagnóstico.  

Foi pensando no nosso 2020 que separamos algumas informações básicas sobre a depressão. 

3 fatos sobre a depressão que todo o mundo tem que saber

A depressão é biológica 

Ela pode se iniciar com experiências estressantes, como a perda de um emprego, divórcio, rejeição, ou qualquer outra coisa que perturbe nosso senso de quem somos e por que temos valor como pessoa. Mas é importante entender que existe uma alteração química na comunicação entre os neurônios que impede a pessoa depressiva de sentir prazer ou felicidade. É como se a felicidade fosse uma chave que não encontra sua fechadura e, por isso, não consegue funcionar.  

Essa metáfora é exatamente como nossos neurônios se comunicam. Os neurotransmissores são células encarregadas de levar uma mensagem de neurônio em neurônio. Na depressão, os neurotransmissores do prazer e da felicidade podem estar em falta, ou podem não conseguir encontrar um neurônio para se encaixar e manter o fluxo do sentimento. 

É por isso que frases como “ei, levanta dessa cama” ou “ei, melhora essa cara” não fazem nenhum efeito.  
 

A depressão não é uma tristeza 

Ninguém está imune à melancolia, à autoestima baixa e a pensamentos negativos. Tudo isso é muito humano. É comum que, nesses estados, a gente se alimente de mais experiências ruins. Quem nunca esteve triste e achou que nunca fosse passar? Mas passa. Toda emoção intensa tem vida curta.

A diferença é que quando a pessoa tem depressão, os episódios ruins começam a ser explicados em termos estáveis (“vai durar pra sempre”), globais (“vai afetar tudo que eu fizer”) e internos (“tudo é culpa minha”), e todo esse sentimento ruim acaba durando mais de 2 semanas. 

Atenção! 

Quando a tristeza durar mais de 2 semanas, procure ajuda. 

Se você notar alguém triste por muito tempo, seja a ajuda e encaminhe para um profissional.  

 

A comunidade é essencial para prevenir a doença 

Você sabia que em culturas não-ocidentais, como no Japão, por exemplo, onde as relações são estreitas e cooperação é a regra, a depressão é menos comum? Já do lado de cá do mundo, o pesquisador Seligman afirma que a depressão é comum entre jovens ocidentais porque vivemos mais no individualismo e menos dentro de grupos como religião e família. Essa situação nos força a assumir a responsabilidade pessoal pelo fracasso ou pela rejeição e ninguém preparou a gente pra isso.  

Vivemos em um mundo em que a gente escuta música sozinho no fone, se incomoda com quem puxa papo no ônibus e não sabe o nome do vizinho.  

Estar em volta de pessoas, contribuir para uma comunidade, mesmo que seja o seu grupo de amigos, pode ser um grande antídoto contra a depressão e outras doenças. 

Talvez a gente precise falar sobre depressão para reaprender a se conectar uns com os outros. 

Quanto mais a gente falar sobre saúde mental, mais a gente se ajuda. 

E aí, topa? 

  Assinatura Desinchá

 
 

Fontes: 

Depressão será a doença mais incapacitante do mundo até 2020
Neurobiological Mechanisms in major depressive disorder
Livro Psicologia | David G. Meyers p. 470. 

Comente aqui

avatar