6 dicas de como acabar com as estrias

Numa madrugada fria, sem companhia e, pior, sem conseguir dormir, a gente começa a fazer umas coisas estranhas aleatoriamente, com a internet como cúmplice. E lá estava eu, no auge da minha transcendência filosófica, buscando respostas para questionamentos simples da vida, como: o que são as estrias? De onde elas vêm? Como se reproduzem? Então resolvi por uma busca no Google, digitei “estrias” e dei um enter.  

A primeira coisa que me apareceu foi “Tratamento inovador, a revolução das estrias”. Rolando meu feed, até achei respostas para os meus questionamentos, mas o que eu passei de textos e vídeos sobre como arrancá-las do corpo de diversas formas não era muito normal, então resolvi dar dicas REAIS de como acabar com as estrias

6 dicas de como acabar com as estrias

1 – Olhe para o passado  

Cheguei à conclusão de que as estrias são simples lesões causadas por um estiramento da pele, nada com o que se preocupar. Mais que isso, por que não as celebrar?  

Toda estria conta uma história. As vezes boa, como de uma mãe apaixonada, que passou meses com uma pessoinha crescendo dentro de si e graças a essa maravilha da natureza, viu a pele da região abdominal, digamos, esticar. As estrias são muito comuns nesse sentido e tudo bem, que elas sejam memória de nove lindos meses, não? 

Contudo, elas podem também ser memória de um corpo cansado de lutar consigo mesmo e com seu formato. Um corpo que passou por inúmeras dietas malucas e extravasou o seu sentimento de “eu não aguento mais”, em estrias.  

 

2 – Contemple o sagrado  

Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós (…). 
Porque fostes comprados por um grande preço. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo.  

– I Coríntios 6, 19-20 

 

Como diria a bíblia, o nosso corpo é muito sábio. Você já parou para pensar que somos como uma grande máquina, com pequenos circuitos internos (que tem circuitos menores ainda), trabalhando para garantir o funcionamento de tudo, e que tudo isso trabalha 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano? Não tem por que a gente não se amar, se contemplar. Você e o seu corpo são muito mais que estrias!  

 

3 – Olhe para dentro 

A neurolinguística nos diz que existem pessoas mais visuais (influenciadas mais pela imagem), mais auditivas (levadas mais pelos sons) e mais cinestésicas (que preferem sentir os cheiros e apalpar as coisas). Esse seria talvez um motivo pelo qual nos deixamos influenciar tanto pelo que vemos em revistas, jornais e na TV. 

Talvez a maioria das pessoas seja visual e a mídia se aproveite disso, nos bombardeando com imagens de um corpo que quase ninguém tem e, graças a isso, tendamos a olhar muito mais para fora que para dentro.  

Por isso, é importante que façamos o exercício constante de ver a beleza que há em nosso interior, e ter a consciência de que isso é muito mais importante que as estrias que temos por aí. E já aproveitando, faça o exercício de se perguntar “como vai o meu psicológico?” porque isso também é muito mais importante. O que entendemos por beleza é algo extremamente relativo e passageiro.  

 

4 – O Diferente é bom 

Tendemos a rejeitar o que há de diferente no mundo, principalmente nas pessoas, mas nos esquecemos que estamos todos aqui e que vamos ter que conviver de uma forma ou de outra (“atura ou surta” define bem). Mas pensa comigo: imagina que chato seria se o mundo fosse feito só de gente igual? Deus nos livre!  

O diferente é lindo, é bom. Até para a ciência, quanto mais diversos sermos, melhor. E você se preocupando… Amor, você é maravilosx do jeitinho que você é, e o fato de não existir ninguém como você (principalmente por dentro), te faz mais especial ainda. E nada mais único que nas nossas estrias, não?

 

5 – Quem falou que estrias são feias?  

Rejeitamos as estrias porque algum dia alguém nos falou que era feio, mas, como falamos, somos diferentes em tudo, então por que precisamos seguir um mesmo padrão de beleza? Quem falou que o que é bonito para mim também TEM que ser bonito para você? Talvez precisemos criar o NOSSO padrão de beleza. Quando fazemos isso, a opinião alheia já não importa, somos mais felizes e livres. E a estria? Nunca nem vi! 

Para mim, em nada importa se eu tenho algumas (ou muitas) marcas no meu corpo. Se minha saúde física e mental vai bem, se eu estou numa boa com a minha consciência, e se tenho quem amar, tudo certo, pois isso sim é bonito.  

E para você, o que é bonito?  

Aproveite e já dê uma parada todos os dias na frente do espelho e fale para você mesmx: EU SOU MUITO GOSTOSX, tenho certeza que vai ajudar.   

 

6 – Se for preciso, se afaste  

Um dos maiores culpados pelos sentimentos ruins a respeito da própria imagem são elas: as redes sociais. Por lá, as pessoas acharam um jeito de propagar, ainda mais, o ideal de corpo criado ao longo dos anos pela mídia e, pior, nos deixamos influenciar pelo que vemos. E nem nos questionamos se o que vemos é realmente verdade, porque nem sempre é.  

Pensando nisso, se você se sentir confortável, elimine essas páginas e perfis da sua vida. Dê esse passo em direção a sua aceitação. Parece algo super inútil, mas, ainda que inconscientemente, o que vemos por lá pode sim nos deixar mais para baixo. E não queremos isso, não é mesmo?  

Ps.: Se tiver alguém na sua vida com a função de te deixar insegurx e te colocar para baixo com relação ao seu corpo e suas estrias, já cogite eliminar essa criatura da sua vida também.  

Lembra que comentei que as estrias podem ser o reflexo de um corpo cansado de lutar contra seu peso e forma? Agora está na hora de mudar essa percepção. Chegou a hora dessas estrias representarem o orgulho de um corpo que saiu da paranoia do emagrecimento; esse é o momento delas simbolizarem a sua (a nossa) luta contra esses padrões que nos foram impostos. Que o que antes era sinônimo de fraqueza, inutilidade, agora se torne estímulo de luta e celebração.   

Assinatura Desinchá

Comente aqui

avatar