Os perigos dos agrotóxicos na sua alimentação

É provável. Somente em 2019, o Ministério da Agricultura já aprovou registros de mais de 400 novos agrotóxicos no mercado brasileiro. Na lista, há substâncias banidas pela União Europeia e itens definidos como “muito perigosos para o meio-ambiente”.  

Se você ainda não planta e consome o próprio alimento, ou não adquire somente produtos orgânicos, é provável que o veneno esteja na mesa. 

Agrotóxicos: Estamos comendo veneno?

O Brasil é ou não o maior consumidor de agrotóxicos do mundo? 

Essa é uma polêmica entre os especialistas, porque a resposta envolve diversos fatores. De acordo com um trabalho encomendado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), em 2013, existem 3 rankings sobre agrotóxicos: números absolutos, número por área cultivada e por volume de produção agrícola. 

E como o Brasil está nesses rankings? Nós somos o país que mais gastou com agrotóxicos: US$ 10 bilhões. Então, de fato, somos os maiores consumidores de veneno. No ranking de consumo por área cultivada, ficamos no 7º lugar (US$ 137 por hectare). No ranking de consumo por produção agrícola (divisão do valor gasto com pesticidas pela produção agrícola), o Brasil é o 13º da lista (US$ 9 por tonelada). 

 

Tem outra saída? 

Em um país tropical como o Brasil, a agricultura está mais suscetível a epidemias de pragas. Os agrotóxicos (“defensivos químicos”) ainda são a principal ferramenta para controlá-las.  

Aqui, o herbicida à base de glifosato é o tipo de agrotóxico mais utilizado. Ele é aplicado, por exemplo, em plantações de milho, soja, café, banana, arroz, maçã e mamão. Mas é também um agrotóxico apontado como danoso à saúde, por ter indícios de ser cancerígeno. 

E tem como cortar os agrotóxicos? Ainda não. No entanto, os especialistas apontam que o uso correto desses produtos, com boas práticas, mitigam os riscos. Dentre essas práticas, estão as técnicas de controle biológico e químico, e o correto preparo de solo. O uso de biotecnologia e defensivos biológicos também ajuda bastante, assim como a agroecologia. 

 

E os impactos causados por agrotóxicos? 

Os agrotóxicos, sutilmente chamados de defensivos agrícolas, podem ser verdadeiros venenos para nós se utilizados incorretamente.  

Agricultores e trabalhadores das indústrias de agrotóxicos são os que mais sofrem os efeitos porque manipulam e aplicam os produtos diretamente. Mas todos nós estamos suscetíveis a exposições múltiplas por meio de consumo de alimentos e água contaminados. 

Enquanto alguns são cancerígenos (glifosato), outros impactam na fertilidade masculina (acefato), na reprodução humana (glufosinato de amônio), no desenvolvimento infantil e na diminuição do QI (clorpirifós). Sem falar na mortalidade das abelhas (sulfoxaflor e neonicotinóides). 

Sim. Além de agredir seres humanos, o uso incorreto de agrotóxicos tem impacto ambiental negativo. Contaminação da água, degradação do solo e destruição da biodiversidade são alguns deles. E se você não está preocupado com a morte das abelhas, deveria. 

 

A morte das abelhas 

O que as abelhas têm a ver com a gente? Tudo. A morte desses insetos não afeta somente a exportação de mel. Eles são os principais polinizadores da agricultura. Sem as abelhas, perdemos uma grande capacidade de produção, o que afeta nossa economia, bem-estar e sobrevivência. 

Alguns especialistas apontam que, sem as abelhas polinizadoras, a produção agrícola sofreria redução de 30% a 40%, em um diagnóstico conservador, e de até 73%, em um diagnóstico mais drástico. 

 

Estamos comendo ou bebendo veneno? 

Sim. Uma pesquisa da ONG Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, junto com a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), de 2015, considerou a quantidade de princípios ativos de agrotóxicos e a receita anual da indústria agroquímica. Chegaram ao número de 7,36 litros de veneno por pessoa por ano. 

Isso não significa que estamos literalmente bebendo esse tanto de agrotóxico. Parte dos pesticidas são utilizados em plantações que não originam alimentos (algodão, eucalipto etc.). Há também a produção exportada. Sem contar a possibilidade de eliminar os agrotóxicos que ficam na parte de fora de alguns alimentos.  

Mas é um número de caráter pedagógico, que traz à tona a importância de uma alimentação saudável. E aqui entram os produtos orgânicos. 

 

E os produtos orgânicos? 

Os produtos orgânicos são aqueles isentos de agrotóxicos, fertilizantes químicos sintéticos, drogas veterinárias e sementes transgênicas. Se forem produtos industrializados, são isentos de aditivos químicos sintéticos (corantes, aromatizantes, conservantes, emulsificantes etc), e não sofrem irradiação.  

Além de estarem livres desses venenos, possuem melhor valor nutricional. A diferença entre os alimentos orgânicos e os convencionais, em termos nutricionais, é a qualidade do solo (e consequentemente de teor de minerais e outros compostos químicos). 

Você foi ao nutricionista recentemente e ele te receitou suplementos sintéticos? Esse é o motivo. O teor dos minerais nos alimentos diminuiu devido aos métodos da agricultura convencional. Com os solos pobres, os alimentos neles produzidos também ficam. 

Por outro lado, se você consome alimentos orgânicos, há maior teor de fitoquímicos, que conferem qualidades terapêuticas aos alimentos, o foco da nutrição funcional. 

Tudo isso vale para os alimentos de origem animal, como carne e leite. Os orgânicos têm gordura de melhor qualidade, porque os animais são criados livres, de acordo com sua espécie. Eles possuem maior teor de ácidos graxos insaturados, menor teor de ácidos graxos saturados e taxas iguais de ômegas 3 e 6.  

E o sabor dos alimentos orgânicos? Infinitamente superior, porque mantêm o sabor original esperado para a espécie. Fertilizantes à base de nitrogênio reduzem o sabor dos alimentos. 

Se você ainda não consegue se alimentar essencialmente com produtos orgânicos, tente aliviar o veneno dos alimentos. Aqui vai uma dica ótima para isso: higienize as frutas e os legumes, deixando-os de molho na água sanitária por cerca de 10 minutos, e enxágue-os em água corrente após esse tempo. Não se esqueça de retirar cascas e folhas externas de verduras. 

 
Produtos Desinchá
 

Fontes  

O Globo | Governo federal libera mais 42 agrotóxicos no Brasil e amplia recorde desde a posse de Bolsonaro

Revista Galileu  | Afinal, o Brasil é o maior consumidor de agrotóxico do mundo?

National Geographic | Liberação recorde reacende debate sobre uso de agrotóxicos no Brasil. Entenda

El País | Um terço dos agrotóxicos usados no Brasil inclui alguma substância proibida pela EU 

BBC | O agrotóxico que matou 50 milhões de abelhas em Santa Catarina em um só mês 

Diplomatique | “A qualidade do alimento orgânico é igual ao alimento convencional

 
 

Comente aqui

avatar