Alongamento é tão importante assim?

Sempre que vou à academia sinto uma preguiça avassaladora logo ao entrar. O pior é que isso acontece não por olhar os aparelhos e perceber que a próxima hora da minha vida será marcada por dificuldades e sofrimentos levantando pesos repetidamente, mas porque eu tenho que alongar. Sim, um simples alongamento me faz querer desistir de toda uma vida de exercícios.

A boa notícia é que muitas pessoas que eu vejo entrando ou saindo da academia passam pelo mesmo problema. Ou a pessoa faz uma cara triste ao olhar para aquelas barras de madeira, ou já faz rapidinho e de qualquer jeito para se livrar, ou nem faz.

Óbvio, tem uma galera que faz tudo bonitinho, ficam um tempão lá, concentrados, contado segundo a segundo o tempo de cada parte do corpo que estão alongando. Mas não são nessas pessoas bem resolvidas que vamos focar hoje.

Seguinte: muitas daquelas pessoas do segundo parágrafo, que fazem alongamento bem no migué, também costumam reclamar de dores durante o treino. Sim. Sei que parece meio óbvio, mas sempre tem alguém que nunca parou pra pensar nisso: atividades físicas causam incômodos/dores. Principalmente musculares.

Isso pode ter vários motivos, mas um dos principais é a falta de alongamento.

É bom esclarecer isso também para que eu possa dizer outra obviedade que a gente as vezes não para pra pensar: o alongamento não é importante só pra quem faz exercícios físicos. Pessoas sedentárias também sentem dores, né.

Diversas dores e incômodos podem melhorar com a prática regular do alongamento. A verdade é que ele engloba diversos benefícios, como relaxamento e alívio da tensão muscular, melhora da postura e flexibilidade corporal e até mesmo o bem-estar físico e mental.

Alongar é praticar um exercício que conserva e melhora a flexibilidade muscular, ajudando no estiramento das fibras musculares, fazendo o comprimento delas aumentar. Então fica aí a lição, desinchamiguinhos: quanto mais se alonga um determinado músculo maior será o fluxo da articulação controlada por ele e melhor será a sua flexibilidade.

Alongamento é tão importante assim

Bom, para QUALQUER TIPO DE PESSOA que faz alongamento, seja um atleta absurdo ou uma pessoa que nunca fez um exercício físico na vida, existem diversos benefícios além dos já citados:

  • Proporciona o bem-estar físico e mental do praticante;

  • Estimula o desenvolvimento da percepção do próprio corpo;

  • Reduz a probabilidade de desenvolver lesões musculares;

  • Restringe os riscos de disfunções da coluna;

  • Melhora a postura;

  • Diminui a tensão muscular;

  • Ameniza cólicas menstruais em atletas;

Mas SE ENGANA quem pensa que alongar os músculos traga benefícios apenas para os músculos, por mais estranho que isso possa parecer.

Alongar o corpo traz benefícios até para os seus queridos órgãos! Alongamento massageia rins, fígado, intestino e pâncreas. Circulação sanguínea? Ajuda também. Nutrientes? Estimula a circulação deles também. Só faltou produzir.

Mas para que todos esses benefícios apareçam em seu corpinho, não tem segredo nenhum, apenas um esforcinho: alongamento se faz TODO DIA, de preferência mais de 1x ao dia. E por mais que as vezes possa ser incômodo, alongar não deve doer. Algumas dicas básicas para um bom alongamento são:

  • Cada posição deve durar de 15 a 45 segundos;

  • Faça um pré-aquecimento antes, caminhando por 5 minutos ou fazendo polichinelos;

  • Inicie sempre pelos músculos primários: superior das costas, peitoral e posterior das coxas e glúteos;

  • Depois, alongue os músculos auxiliares ou secundários, como as mãos, dedos e bíceps.

alongamentos

As principais regiões trabalhadas pelo alongamento são a coluna, pescoço, os membros e as regiões pélvica e lombar.

Existem dois tipos de vertentes entre os profissionais da saúde sobre fazer alongamento: muito defendem que deve ser feito antes e depois. Outros defendem que apenas depois.

Os que se dizem contra argumentam que fazer antes pode comprometer o desempenho em alguns movimentos, principalmente os que demandam mais força, pois diminuem a rigidez da musculatura alongada.

Mas não é porque alongamentos podem ser feitos a qualquer hora e em qualquer lugar que você não precisa tomar alguns cuidados para não se machucar ou piorar algum problema já instalado. Por exemplo:

  • O ideal é que o corpo esteja sempre aquecido antes da prática de alongamento, 5 a 10 minutos de exercícios leves, como caminhada, já é suficiente;

  • Caso não tenha o hábito de fazer alongamento e não sabe os movimentos corretos, busque um profissional;

  • Se você está com alguma dor ou lesão, busque orientação e seja acompanhado por especialista;

  • É muito importante durante esse exercício que você não salte ou coloque muita pressão nas articulações e músculos, porque irá favorecer microfissuras nas fibras musculares;

  • Fique bem atento aos seus movimentos, eles devem estar sempre em harmonia;

  • Mantenha a postura correta;

  • Ao fazer os movimentos do alongamento, faça dentro do seu limite. Criando a rotina de fazer diariamente, a flexibilidade irá aumentar aos poucos. Não force! Não é pra doer.

  • Se você sentir fadiga, fale com seu médico;

  • Não faça alongamento se tiver deficiência de cálcio, a ausência desse mineral significa ossos frágeis. Consulte sempre um médico;

  •  Você deve sentir uma tensão tolerável, uma vez que alongamento tem que ser relaxante;

  • Qualquer exercício físico deve ser feito com roupas confortáveis e que permitam os movimentos livres.

Agora vamos ao que interessa: os tipos de alongamento.

  • Alongamento dinâmico ou balístico: indicado, principalmente, quando melhorar a flexibilidade ajuda no desempenho esportivo. Fazer alongamentos dinâmicos – como a elevação dos joelhos, o agachamento e rotação de braços e tronco é sempre positivo, porque aumenta a mobilidade das articulações e a amplitude do movimento. Alongamentos dinâmicos devem ser realizados após um período inicial de aquecimento, feito a partir de movimentos curtos e deslocamentos pelo solo.

  • Alongamento estático: o mais popular de todos, ele é feito quando os músculos são esticados e você permanece em uma posição estática entre 15 a 30 segundos. O alongamento estático é uma boa alternativa para dar início à reabilitação dos músculos após uma lesão.

  • Facilitação neuromuscular proprioceptiva: esse é um tipo feito com a ajuda de outra pessoa, que vai segurar a região alongada por até 30 segundos em determinada posição. Depois disso, o praticante faz uma força contra a pessoa que está ajudando, e essa pessoa continua sustentando o alongamento como inicialmente. Esse é um exercício mais complexo, portanto o ideal é que seja feito com a ajuda de um profissional.

  • Alongamento específico: seja qual for o tipo de alongamento que você esteja fazendo, é importante fazer o alongamento específico para o tipo de exercício que você vai praticar. Ou seja: movimentos semelhantes aos do esporte que será que será praticado. Vale também pra musculação, alongando as partes que serão exercitadas.

  • Alongamento passivo: esse tipo é feito com a ajuda de algum aparelho e de alguma pessoa! Seja ele uma faixa elástica ou aquelas bolas de academia. Nesse caso, o controle do movimento pode ser passado para outra pessoa – e por isso é importante ter noção do seu limite e interromper o alongamento se sentir dores excessivas.

Bom, agora você já sabe como se alongar é importante e, principalmente, como NÃO se alongar pode trazer prejuízos sérios para o seu corpo.

E se espreguiçar quando acorda não conta como alongamento, ok?

Assinatura Desinchá

Comente aqui

avatar