Loja Oscar Freire

Loja Shopping Iguatemi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Aquecimento e alongamento: para que servem e quando fazer

Sempre tive um drama (bem bobo) que por diversas vezes me fez dar uns migués na academia: a necessidade de fazer aquecimento e alongamento.  

Na verdade não é bem um drama. É mais uma falta de informação que só foi me preocupar a partir do momento em que comecei a sentir dores pelo corpo. No ombro, mais especificamente.  

E como ninguém merece se exercitar e terminar sentindo dor, abri aquelas 10.000 abas no navegador sobre o tema e descobri que muitas pessoas não sabem nem a diferença entre aquecimento e alongamento (sim, eu era uma delas). 

Como vejo muita gente pulando essas partes nos treinos, resolvi tentar ajudar com esse TEXTO ALERTA, já que são dois procedimentos muito importantes (e minha preguiça fez com que eu não desse a devida atenção a eles). 

Aquecimento e alongamento são práticas diferentes, que possuem funções diferentes. O costume sempre foi fazer alongamentos antes dos exercícios físicos… PORÉM temos uma novidade aí: estudos têm demonstrado que isso pode ser ruim para alguns tipos de exercícios. Mas chegaremos lá. O importante agora é explicar a função de cada um. 

Aquecimento e alongamento: para que servem e quando fazer

 

Vamos nessa? 

 

Aquecimento

Aquecimento é um ótimo preparativo para exercícios mais longos e intensos de força, musculação e esportes, pois lubrifica articulações e aumenta a irrigação sanguínea.  

Esse método se faz com a realização prévia de exercícios repetitivos com menor intensidade. Sabe o famoso polichinelo? Pois é. Com isso o corpo vai se acostumando com o que vem pela frente e evita lesões.  

 

Alongamento 

Aqui existem dois tipos: o dinâmico e o estático. O mais utilizado é o estático, composto por movimentos que exploram os limites do corpo, envolvendo esticar e segurar determinadas posições. Sua função é relaxar e ampliar a flexibilidade dos músculos e articulações. 

E qual é o melhor?  

Bom, não existe mais o melhor. Existe fazer o certo na hora certa. Vamos lá: 

 

Aquecer antes, sempre  

O aquecimento é indispensável antes da prática de exercícios. Ele aumenta a temperatura do corpo e o metabolismo das células. O aquecimento ideal varia de acordo com o tipo de exercício que você pratica.  

 

Mas e o alongamento, como fica?  

Estudos da Universidade de Nevada indicam que realizar o alongamento estático antes da prática de exercícios é uma cilada. Fazendo isso, você reduz em 30% a força muscular por pelo menos 30 minutos.  

Caso você esteja fazendo um treino de força, pode até ser perigoso! Isso porque o alongamento estático diminui a resistência e a ruptura das fibras musculares.  

Mas ainda existe outro tipo de alongamento, lembra? O dinâmico é muito parecido com o aquecimento, pois se baseia na repetição de movimentos parecidos com o exercício a ser praticado, com pouca ou nenhuma carga ou menor intensidade. Isso diminui bastante a probabilidade de uma lesão.  

 

Jamais abandone o alongamento estático 

Até aqui, falamos sobre procedimentos para se fazer antes dos exercícios físicos. Ou seja: ainda tem espaço pro alongamento estático existir e ter a sua importância.  

Ele é ótimo para finalizar o treino ou para dias específicos. Veja bem: os tecidos que envolvem o músculo são rígidos, então existe uma dificuldade para ele se expandir. É aí que entra o nosso querido e tradicional alongamento estático: ele ajuda os tecidos musculares, o músculo e o próprio corpo a ter uma maior flexibilidade. 

 

Resumindo: os dois são importantes, cada um em seu momento. Cada tipo para cada atividade. Só não deixe a preguiça te dominar e saiba que eles são importantes demais.  

Você vai demorar uns 15 minutinhos a mais pra sair da academia, mas vai sair com a certeza de que fez tudo direitinho, e o melhor: sem dor no ombro depois. 😉  

 

Desinchá

Comente aqui

avatar