Bolo de cenoura: o guia definitivo!

 
Bolo de cenoura: o guia definitivo!

A pauta de hoje pode parecer um pouco estranha para você, caro leitor. E é mesmo. 
Nosso blog tem produzido muito conteúdo interessante sobre saúde e bem-estar, mas tem sempre um momento em que você cansa um pouco de ler tantas dicas, faça isso, faça aquilo, cozinhe assim, não coma isso, não escove os dentes com cúrcuma e etc.  
Momentos para desligar o cérebro, sentar e ler coisas que não tenham nenhum compromisso que vá além do divertimento também fazem parte de uma vida saudável.  
Então vamos falar de um tema que é quase unanimidade entre nós: o BOLO DE CENOURA.  

Reparem bem: estamos no Desinblog e não no Desinchef. Logo, esse não vai ser um espaço para divulgar uma receita gostosa/fit dessa iguaria. Inclusive, já divulgamos umas 3 receitas diferentes da mesma.  

O intuito aqui é ser um lugar para discutirmos tudo que envolve essa preciosidade com seriedade e compromisso.  

Mas vamos logo começar com uma crítica: aqui no Brasil temos tantos alimentos exclusivos e incríveis e nenhuma data para valorizá-los (estou dizendo isso sem uma pesquisa profunda. Imagino que possa existir o dia nacional do pastel de feira e eu não sabia).  

Já os norte-americanos, com suas extravagâncias que às vezes têm alguma lógica, possuem data pra tudo, inclusive para o bolo de cenoura, o National Carrot Cake Day (Dia Nacional do Bolo de Cenoura), comemorado - COM JUSTIÇA - no dia 03 de fevereiro.  

É importante lembrar que eles deram uma data para um bolo que nem é lá grande coisa. 

Mas calma. Estou me referindo ao bolo DELES. O nosso é tão gostoso que parece que foi confeitado por mãos de anjos (ou de vós). 

Acontece que o american carrot cake é aquela coisa pesada como boa parte da comida de lá: a receita de lá tem uma massa bem mais densa (ao contrário da fofinha que amamos) e que pode levar, além de cenoura, FRUTAS (!!!) como abacaxi, coco e nozes. Isso sem falar que a cobertura também é diferente, substituindo aquela pornografia que é a calda de chocolate por um cream cheese sem vergonha. Eu acho uma afronta. 

Bolo de cenoura.gif

Vamos voltar na história para entender melhor a cronologia do nosso sagrado bolo de cenoura: ele descende de bolos feitos na Europa durante a Idade Média.  

Era um luxo, naquela época, ter açúcar de cana para cozinhar, então a cenoura era usada para adoçar os bolos e outras receitas. Com o passar do tempo a receita foi evoluindo, o açúcar virou produto popular e percebemos que colocar calda de chocolate em qualquer coisa torna tudo mais interessante.  

Mas sejamos justos: o americano não é o único que erra ao tentar reinventar o bolo de cenoura. Por aqui, com frequência, vemos as pessoas cometendo diversas atrocidades com o produto mais fofinho da gastronomia popular. Por exemplo:  

 

1) Colocar muita cenoura 

Fazer um bolo de cenoura não é empilhar um grande número de exemplares picados desse legume maravilhoso e servir. Acredite, a cenoura é apenas um ingrediente. O certo é usar mais ou menos 270g de cenoura para cada xícara de chá de farinha. 


2) Não triturar a cenoura corretamente 

Caso você cometa esse crime, seu bolo vai ficar pedaçudo. E ninguém quer um bolo de cenoura pedaçudo, certo? Queremos aquela textura fofa como a espreguiçadeira dos anjos. Além disso, o risco de solar aumenta. Para evitar essa tragédia, deixe a cenoura batendo no liquidificador com o óleo e os ovos sem pressa. Também vale cozinhar o legume, o que inclusive vai deixar seu bolo mais laranja. 


 3) Não preaquecer o forno 

Regra básica: não adianta querer fazer qualquer tipo de bolo e não preaquecer o forno, caro desinchamigo. Provavelmente você já sabia disso, mas não custa deixar bem claro. As vezes pode ser preguiça ou ansiedade, vai saber. Mas a verdade é que o fermento presente nesse bolo alaranjado precisa de muito calor, principalmente no início, para fazê-lo crescer. E por favor: NÃO-ABRA-O-FORNO. 


4) Não peneirar a farinha 

Aí vai um truque que nem todos devem saber (ou conhecem e eu que sou meio iniciante nesse universo). Dando essa peneirada, seu bolo vai ficar mais leve e não vai murchar. Essa dica é boa inclusive para quem gosta de colocar amido de milho na massa. Quanto mais ingredientes secos (açúcar, fermento, farinha) você peneirar, mais fofinho vai ficar o seu bolo.  


5) Misturar tudo no liquidificador 

Deixe o liquidificador focado apenas em triturar a cenoura com o óleo e os ovos. Depois disso, use apenas uma tigela com um fouet (ou o que estiver a sua disposição para mexer) para misturar a massa com os ingredientes secos.  


Seguindo essas dicas de sabedoria, é praticamente impossível o seu bolo de cenoura não ficar a coisa mais fofa do mundo.   

E veja que curioso, caro entusiasta do bolo de cenoura: mesmo essas receitas doces feitas com nosso querido legume laranja tendo registros desde a Idade Média, passando pela Grã-Bretanha em livros de culinária dos séculos XVIII e XIX, criamos a nossa versão tropical exclusiva faz pouquíssimo tempo. Mais ou menos uns 30 anos, literalmente.  

Ok, mas o que isso significa? Ora, é simples: significa que a tradição nem sempre garante o máximo de qualidade que o objeto em questão pode oferecer. Na verdade, muitas vezes, ela só é um atraso para o desenvolvimento máximo de todo o potencial que algo (no caso, o bolo de cenoura) pode oferecer.  

O brasileiro, sempre com a sua desenvoltura mágica para criar coisas incríveis, precisou de nem uma geração completa para aperfeiçoar uma receita acorrentada no marasmo da tradição europeia de comidas medievais. Coitados.  

Pedaço de bolo

Veja, meu amigo: o bolo de cenoura é uma experiência antropológica. Nada como uma cultura rica e diversa como a nossa para transformar uma simples sobremesa em algo que comemos qualquer hora do dia, em qualquer lugar, de infinitas maneiras. O nosso bolo deveria ser referência para o mundo. É pra deixar Ariano Suassuna com sentimentos confusos.    

Para provar o meu ponto, exemplifico: o inglês tem a versão “carrot pudding”, ou seja, “pudim de cenoura”, em português. Daquelas receitas que passaram por diversas gerações e bla bla bla. Mas nem no Pinterest você vai achar uma foto apetitosa. Mesmo o de culturas mais recentes, como do norte-americano, já dito no início desse texto, parece mais um pavê com coisas que não deveriam estar em um pavê. Na Ásia tem lugar que o bolo de cenoura NEM CENOURA VAI. Isso pelo fato de que eles chamam o rabanete branco de “cenoura branca” por lá. Vai entender.   

Enfim: acho que meu ufanismo exagerado deve ter conseguido com que eu transmitisse a palavra do bolo de cenoura para você. Só resta concordar e apreciar.  

Cooking-muppet.gif

E como aqui na Desinchá tratamos esse assunto com a seriedade que ele merece, vou passar 3 links de receitas de bolo de cenoura saudáveis e deliciosos (garanto) para você fazer em casa sem nenhuma dificuldade:  

Bolo de cenoura low carb

Bolo de cenoura low carb

Bolo de cenoura com cobertura de limão

Bolo de cenoura com cobertura de limão

Bolo de cenoura low carb com cobertura de chocolate

Bolo de cenoura low carb com cobertura de chocolate

Pronto, espero ter ajudado e que agora, ao buscar “bolo de cenoura” no Google, tenha alguma coisa além de receitas de programas da tarde da TV aberta. 

Lembrando que: as opiniões desse texto são pessoais e não refletem o pensamento da empresa (mas deveriam). 

Beijos!   

 
 

Escrito por: Silvio Figueira
#EquipeDesinchá 💚