Numa madrugada fria, sem companhia e, pior, sem conseguir dormir, a gente começa a fazer umas coisas estranhas aleatoriamente, com a internet como cúmplice. E lá estava eu, no auge da minha transcendência filosófica, buscando respostas para questionamentos simples da vida, como: o que são as estrias? De onde elas vêm? Como se reproduzem? Então resolvi por uma busca no Google, digitei “estrias” e dei um enter.  

A primeira coisa que me apareceu foi “Tratamento inovador, a revolução das estrias”. Rolando meu feed, até achei respostas para os meus questionamentos, mas o que eu passei de textos e vídeos sobre como arrancá-las do corpo de diversas formas não era muito normal, então resolvi dar dicas REAIS de como acabar com as estrias

6 dicas de como acabar com as estrias

1 – Olhe para o passado  

Cheguei à conclusão de que as estrias são simples lesões causadas por um estiramento da pele, nada com o que se preocupar. Mais que isso, por que não as celebrar?  

Toda estria conta uma história. As vezes boa, como de uma mãe apaixonada, que passou meses com uma pessoinha crescendo dentro de si e graças a essa maravilha da natureza, viu a pele da região abdominal, digamos, esticar. As estrias são muito comuns nesse sentido e tudo bem, que elas sejam memória de nove lindos meses, não? 

Contudo, elas podem também ser memória de um corpo cansado de lutar consigo mesmo e com seu formato. Um corpo que passou por inúmeras dietas malucas e extravasou o seu sentimento de “eu não aguento mais”, em estrias.  

 

2 – Contemple o sagrado  

Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós (…). 
Porque fostes comprados por um grande preço. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo.  

– I Coríntios 6, 19-20 

 

Como diria a bíblia, o nosso corpo é muito sábio. Você já parou para pensar que somos como uma grande máquina, com pequenos circuitos internos (que tem circuitos menores ainda), trabalhando para garantir o funcionamento de tudo, e que tudo isso trabalha 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano? Não tem por que a gente não se amar, se contemplar. Você e o seu corpo são muito mais que estrias!  

 

3 – Olhe para dentro 

A neurolinguística nos diz que existem pessoas mais visuais (influenciadas mais pela imagem), mais auditivas (levadas mais pelos sons) e mais cinestésicas (que preferem sentir os cheiros e apalpar as coisas). Esse seria talvez um motivo pelo qual nos deixamos influenciar tanto pelo que vemos em revistas, jornais e na TV. 

Talvez a maioria das pessoas seja visual e a mídia se aproveite disso, nos bombardeando com imagens de um corpo que quase ninguém tem e, graças a isso, tendamos a olhar muito mais para fora que para dentro.  

Por isso, é importante que façamos o exercício constante de ver a beleza que há em nosso interior, e ter a consciência de que isso é muito mais importante que as estrias que temos por aí. E já aproveitando, faça o exercício de se perguntar “como vai o meu psicológico?” porque isso também é muito mais importante. O que entendemos por beleza é algo extremamente relativo e passageiro.  

 

4 – O Diferente é bom 

Tendemos a rejeitar o que há de diferente no mundo, principalmente nas pessoas, mas nos esquecemos que estamos todos aqui e que vamos ter que conviver de uma forma ou de outra (“atura ou surta” define bem). Mas pensa comigo: imagina que chato seria se o mundo fosse feito só de gente igual? Deus nos livre!  

O diferente é lindo, é bom. Até para a ciência, quanto mais diversos sermos, melhor. E você se preocupando… Amor, você é maravilosx do jeitinho que você é, e o fato de não existir ninguém como você (principalmente por dentro), te faz mais especial ainda. E nada mais único que nas nossas estrias, não?

 

5 – Quem falou que estrias são feias?  

Rejeitamos as estrias porque algum dia alguém nos falou que era feio, mas, como falamos, somos diferentes em tudo, então por que precisamos seguir um mesmo padrão de beleza? Quem falou que o que é bonito para mim também TEM que ser bonito para você? Talvez precisemos criar o NOSSO padrão de beleza. Quando fazemos isso, a opinião alheia já não importa, somos mais felizes e livres. E a estria? Nunca nem vi! 

Para mim, em nada importa se eu tenho algumas (ou muitas) marcas no meu corpo. Se minha saúde física e mental vai bem, se eu estou numa boa com a minha consciência, e se tenho quem amar, tudo certo, pois isso sim é bonito.  

E para você, o que é bonito?  

Aproveite e já dê uma parada todos os dias na frente do espelho e fale para você mesmx: EU SOU MUITO GOSTOSX, tenho certeza que vai ajudar.   

 

6 – Se for preciso, se afaste  

Um dos maiores culpados pelos sentimentos ruins a respeito da própria imagem são elas: as redes sociais. Por lá, as pessoas acharam um jeito de propagar, ainda mais, o ideal de corpo criado ao longo dos anos pela mídia e, pior, nos deixamos influenciar pelo que vemos. E nem nos questionamos se o que vemos é realmente verdade, porque nem sempre é.  

Pensando nisso, se você se sentir confortável, elimine essas páginas e perfis da sua vida. Dê esse passo em direção a sua aceitação. Parece algo super inútil, mas, ainda que inconscientemente, o que vemos por lá pode sim nos deixar mais para baixo. E não queremos isso, não é mesmo?  

Ps.: Se tiver alguém na sua vida com a função de te deixar insegurx e te colocar para baixo com relação ao seu corpo e suas estrias, já cogite eliminar essa criatura da sua vida também.  

Lembra que comentei que as estrias podem ser o reflexo de um corpo cansado de lutar contra seu peso e forma? Agora está na hora de mudar essa percepção. Chegou a hora dessas estrias representarem o orgulho de um corpo que saiu da paranoia do emagrecimento; esse é o momento delas simbolizarem a sua (a nossa) luta contra esses padrões que nos foram impostos. Que o que antes era sinônimo de fraqueza, inutilidade, agora se torne estímulo de luta e celebração.   

Assinatura Desinchá

Você é uma pessoa que aceita seu corpo do jeitinho que ele é? A maioria das mulheres não gostam totalmente do seu corpo e sempre encontram alguma coisinha que poderia ficar melhor ou que mudariam por completo. 

A celulite é uma delas. Já cansei de ver mulheres indo para a praia e sentindo vergonha do próprio corpo por causa das benditas celulites. Mas você sabia que 98% da população feminina acima dos 30 anos possuem esses furinhos no bumbum? 

Quase 100% (CEM POR CENTO!) das mulheres possuem essas marcas, então precisamos entender o motivo que nos faz odiar tanto nosso corpo por algo que é mais do que normal, é praticamente intrínseco. 

Celulite: aceitar ou eliminar?

Mas o que são, afinal, as celulites? 

A celulite é uma alteração causada pelo acúmulo de gordura, água e toxinas nas células, fazendo com que essas células fiquem cheias e endurecidas, deixando o local com desníveis e nódulos. Isso se manifesta com os furinhos ou um formato popularmente chamado de “casca de laranja”. Não se trata de nenhuma condição médica. O desconforto que ela gera é apenas estético. 

No começo desse ano ocorreu uma situação com a Australiana Ariella Nyssa. Ela usa seu Instagram como um meio de mostrar para as mulheres que ter estrias e celulites é normal e que isso não torna ninguém mais ou menos bonito, mas torna o corpo feminino real

Quando ela postava uma foto de biquini que deixava evidente suas celulites, ela recebia mensagens de pessoas comentando sobre seu corpo ser feio, gordo e que ela era preguiçosa por não querer malhar e mudar a situação. 

O pior é que mais da metade das ofensas vieram de outras mulheres que, assim como Ariella, também possuíam em seu corpo as mesmas marcas. 

Quem determina o que é bonito e o que é feio? Quem estereotipa os padrões? A grande verdade é que ninguém além de você mesmo deveria definir o que gosta e o que não gosta em si mesmo. É tudo uma questão de autoestima e amor próprio como citamos em outro texto do blog (e, caso você não tenha visto, falamos sobre o que falta para você recuperar o seu amor próprio). 

É importante nos sentirmos bem no nosso corpo, olhar para nosso bumbum e amar ele, e é aí que vem a grande questão: devemos amar nossas celulites ou eliminá-las? Devemos aceitar nosso corpo do jeito que é ou fazer algo para mudá-lo? Bom, a resposta é bem simples: você deve fazer o que fará se sentir melhor. É necessário entender que ter imperfeições é normal, mas também é normal você querer mudar algo em você para se sentir bem consigo mesma. 

Eu sempre fui uma pessoa complexada com meu corpo, acreditando que as pessoas iriam me olhar com olhar de julgamento por eu ter celulites, mas hoje em dia que mulher não possui celulite no corpo? Celulite não é nada mais do que uma forma que o corpo feminino armazena gordura. E esse tabu é somente uma forma que a indústria encontrou de nos vender produtos. 

No blog postamos um texto sobre “5 palavras para atualizar seu dicionário saudável” que falamos sobre a bendita celulite, e a partir de que momento começamos a nos importar com ela. 

A questão é: eu aprendi a amar meu corpo com meus furinhos e, realmente, isso é algo muito difícil de se fazer. Minha irmã é um dos exemplos de pessoas que, para se sentir melhor consigo mesma, preferiu fazer mudanças no seu corpo. 

Assim com 98% das mulheres, ela tinha aquele aspecto de casca de laranja na pele, mas a única forma que ela viu para lidar com isso foi fazendo tratamentos estéticos para diminuir a quantidade de celulites. 

Não existe nada de errado em ter essas marquinhas, afinal, elas são apenas uma representatividade de como é o corpo de uma mulher e, por isso, trouxe para você alguns “mitos e verdades” para desmistificar muitas coisas que as pessoas pensam sobre a celulite: 

 

Somente pessoas com excesso de peso têm celulite 

MITO. A celulite aparece em decorrência de inflamações no tecido adiposo, o qual constitui as gorduras no corpo, mas é preciso entender que mesmo pessoas aparentemente magras possuem tecido adiposo. 

Mulheres têm mais celulite do que homens 

VERDADE. Estima-se que apenas 9% dos homens apresentam os furinhos, o que se sabe é que o organismo feminino tem maior tendência a acumular gorduras no quadril, barriga e coxas. 

Ela é uma condição genética 

VERDADE. Apesar de ser verdade que o fator hereditário pode contribuir com a predisposição, também é preciso entender que não é somente a genética a única responsável pela celulite, qualquer pessoa pode desenvolvê-la mesmo sem histórico familiar. 

O tipo de roupa pode causar celulite 

MITO. Muitas pessoas pensam que calça apertada é a maior causadora de celulite, mas a única influência que o tipo de roupa apresenta refere-se à limitação da circulação sanguínea, que é um fator pouco provável diante de outros mais evidentes, como dieta inadequada e sedentarismo. 

Atividade física é o principal tratamento para combater essas marquinhas 

VERDADE. Tanto para prevenir como para combater os indesejados furinhos, praticar atividade física regularmente ajuda a diminuir a gordura e, consequentemente, as inflamações. Mas vale alertar que não basta exercitar-se, é preciso acompanhar com alimentação equilibrada. 

É tudo uma questão de aceitar seu corpo e entender que ele não é feio por ter o que a maioria das mulheres têm. Celulite não deve ser tratada como doença, porque ela não é. Não torne isso um empecilho na sua vida, se ache bonita e se ame, ame suas imperfeições e ame também suas mudanças. 

Próximo passo: escolha seu melhor biquíni, vá a praia, e não se importe com quem pode ou não estar reparando em você, tome um banho de sol, um banho de mar e coloque seu bumbum para jogo, menina! Seja feliz em seu próprio corpo. 

Assinatura Desinchá

Eu nunca fui uma pessoa muito preocupada com a minha pele. Sempre achei que ter todos aqueles cuidados com a pele de passar creme disso, máscara daquilo, fosse uma mera vaidade das pessoas. 

E uma vaidade desnecessária, afinal você só precisa passar água e sabonete para deixar tudo limpo, certo? Errado!

Uma das minhas irmãs sempre foi uma pessoa preocupada com isso, principalmente a pele do rosto (até porque essa é a primeira parte do corpo que reparamos quando conhecemos alguém.) Ela sempre me incentivou a ter alguns cuidados com a pele que para ela eram essenciais, mas que para mim eram desnecessários e poderiam ser descartados.

Mas um erro básico que eu cometi foi pensar que não sofreria as consequências dessas decisões.

Então fiz como a maioria das pessoas fazem: evitei tomar qualquer atitude até perceber que minha pele estava começando a passar por mudanças. Com 21 anos tinha começado a sentir a pele seca, porosa, e meio rachada. 

Pera lá! Não vou dizer aqui que antes disso eu tinha pele de pêssego, tão macia quanto o bumbum de um nenê, mas agora ele estava quase se transformando numa lixa de tão áspero.

Minha irmã, ainda bem, não me veio com aquela frase de todo mundo que enxerga algo que a outra pessoa não está vendo: “Eu avisei.” O que ela sabia e eu não? Diariamente somos expostos a coisas que prejudicam e danificam a nossa pele, como por exemplo: 

  • Estresse 
  • Má alimentação 
  • Excesso de sol 
  • Alterações hormonais  
  • Poluição 

Então, se estamos constantemente expostos a esses malefícios, o que devemos fazer é diariamente cuidar da nossa pele contra eles. Isso é até meio óbvio, mas não foi óbvio o suficiente para mim, pelo menos não logo de cara.

Essa foi a minha maior dificuldade, saber o que fazer, o que usar, quando usar. Se fechamos os olhos para cuidados que devemos ter com nós mesmos, quando resolvemos mudar esse hábito ficamos perdidos.

“Mas por onde eu começo?”

Se a sua maior dificuldade também for por onde você deve começar, vou te mostrar alguns cuidados com a pele que são diários e essenciais.

5 cuidados com a pele que são essenciais

1- Limpeza de pele 

Limpar a pele é fundamental para eliminar as células mortas, secreções naturais da pele, resíduos de poluição e maquiagem. Então, sempre lave muito bem o seu rosto com água e sabonete, e pode passar também um demaquilante para ter certeza que retirou todos os resíduos.  

Ter uma pele limpa evita que cravos e espinhas se proliferem. E fazer essa limpeza é indispensável para remover as impurezas dos poros. 
 
Ah! A dúvida de muitos também é quantas vezes por dia devemos limpar o nosso rosto. É recomendado limparmos nossa pele pelo menos três vezes ao dia: antes de dormir, ao acordar e uma vez durante o dia. 
 

2- Tônico facial. 

Essa loção tem a função de manter a umidade natural da pele, além de proporcionar mais elasticidade e beneficiar o tônus muscular. O tônico deve ser usado depois de lavar o rosto.  
 
Ele vai eliminar aquela sujeirinha que a limpeza com o sabonete não tirou. E também evita que os poros fiquem obstruídos, auxiliando na penetração de cremes de tratamento.  

 
3- Esfoliação da pele 

A esfoliação não pode ser feita diariamente (no mínimo de 15 em 15 dias), mas acho importante falar dela aqui, porque ela faz uma grande diferença na pele.  
 
O esfoliante é ideal para uma limpeza mais profunda, eliminando as impurezas e retirando as células mortas de forma eficaz.  

Ela também estimula a renovação natural de células da pele e ajuda no tratamento das espinhas.  

 
4- Máscara facial 

Existem vários tipos de máscaras – as que hidratam, as que tratam oleosidade, à base de argila, e até as máscaras caseiras. Independente da sua escolha, esse é o toque final para NUTRIR a sua pele (quase como a gente nutre o corpo com os alimentos que comemos). 
 
Na minha pele, máscaras naturais sempre se adaptaram melhor. Opto sempre por utilizar esse tipo de produto (sem parabenos nem químicas tóxicas), mas não é tão fácil achar isso perto da minha casa. 
 
Aí fiquei bem feliz quando a Desinchá lançou a Matchá Máscara Detox, que é toda natural e bonita pra caramba, feita à base de argilas de alta pureza (branca e verde), além de insumos orgânicos como o matchá, o chá verde, aloe vera, vitamina E e clorofila natural. 
 
Essa é uma ótima dica para você que quer ter uma pele de bebê, sem contar que é super cheirosinha. 
 
Ah! Uma dica legal que eu coloquei na minha rotina junto com a máscara é usar água termal. Ela hidrata o rosto e traz de volta aquele aspecto saudável que às vezes perdemos, sabe? Além de ser meeega refrescante. 

Opto por utiliza-la antes de dormir, mas você pode usá-la durante o dia e quantas vezes achar melhor. 
 

5 – Protetor Solar 

Outra dica que eu considero, se não a mais importante, uma das. É o uso de Filtro Solar.  

Muitas vezes não percebemos o sol queimar, mas ele está lá, firme e forte. E você pode até falar – “Ah, mas durante o dia eu não fico no sol”. 

Você sabia que a luz do computador, tablet e celular pode queimar, danificar e manchar a pele do seu rosto? 

Muitas pessoas não possuem esse conhecimento e por isso acabam não se precavendo, mas esse é um risco real. Porém há meios para evitar isso. 

Advinha… 

Exato, protetor solar. 

 
Então é isso! Essas são minhas dicas essenciais de cuidados com a pele.  
 
Qual delas você já implementa na sua rotina? Quais quer implementar?  
 
A gente segue o papo nos comentários 🙂 

Assinatura Desinchá