Você sabe como ativar o hormônio da felicidade?

Esse é mais um daqueles textos com palavras difíceis de pronunciar. Sabe aquelas que só de olhar a gente desiste de fazer o que quer que fosse? Mas calma! Você não precisa desistir de ler por esse motivo, afinal, meu trabalho é justamente facilitar as coisas para você. E é por isso que eu vim falar sobre algo difícil, porém de uma forma easy, easy. O assunto hoje é sobre o “Hormônio da felicidade”, ou melhor, os hormônios da felicidade. 

Você já ouviu falar nesse termo antes? Ele normalmente é usado para retratar a fórmula para ser feliz. 

Ao longo dos séculos, pesquisadores se dedicaram a estudar a felicidade como um processo biológico, para descobrir o que desencadeava nossos sentimentos no ponto de vista físico. 

Nesse contexto, descobriram que nós temos substâncias químicas no nosso corpo que são conhecidas como “quarteto da felicidade”. 

A pesquisadora Loretta Breuning, autora do livro “Habits of a happy brain, explica que “quando o seu cérebro emite uma dessas químicas, você se sente bem”. 

Esse quarteto da felicidade é dividido em: Dopamina, Oxitocina, Serotonina e Endorfina. Cada substância da felicidade tem um trabalho diferente no nosso cérebro. Quando liberadas, elas podem nos trazer aquela sensação gostosa de felicidade. 

Esses hormônios estão sempre ativos no nosso organismo. Se eles não estão em equilíbrio, nosso corpo pode reagir negativamente através da insônia, estresse, ganho de peso e mau humor. Também podem te desmotivar e fazer com que você não sinta vontade de cumprir suas tarefas e compromissos. E, em casos mais graves de baixa desses neurotransmissores, as pessoas podem até desenvolver depressão

É por isso mesmo que eu trouxe uma série de coisas que você pode fazer para ativar cada um desses neurotransmissores. Elevar seu bem-estar pessoal e permitir que a “química da felicidade” nos ajude a desenvolver o hábito de estarmos felizes. 

Criança feliz

 O assunto hoje é sobre o “Hormônio da felicidade”, ou melhor, os hormônios da felicidade. 

Você já ouviu falar nesse termo antes? Ele normalmente é usado para retratar a fórmula para ser feliz. 

Ao longo dos séculos, pesquisadores se dedicaram a estudar a felicidade como um processo biológico, para descobrir o que desencadeava nossos sentimentos no ponto de vista físico. 

Nesse contexto, descobriram que nós temos substâncias químicas no nosso corpo que são conhecidas como “quarteto da felicidade”. 

A pesquisadora Loretta Breuning, autora do livro “Habits of a happy brain, explica que “quando o seu cérebro emite uma dessas químicas, você se sente bem”. 

COMO ATIVAR A ENDORFINA 

A endorfina é uma substância natural (neuro-hormonais) produzida pelo cérebro (glândula hipófise). Sua denominação se origina das palavras endo (interno) e morfina (analgésico). Ela é o primeiro elemento da química da felicidade, e é considerada a morfina do nosso corpo, pois age como se fosse um anestésico natural. 

Segundo Breuning, a endorfina é uma “breve euforia que tem a capacidade de mascarar a dor física”. É por isso que consumir alimentos apimentados é uma das maneiras de liberar esse opiáceo natural (morfina natural), pois ele pode induzir uma sensação de felicidade e nos dar mais resistência a dores. 

Mas essa não é a única forma de obtermos uma “injeção” de endorfina. O processo de produção e liberação dela pela glândula hipófise acontece durante e depois de uma atividade física.    

Há pessoas (assim como eu) que não curtem muito fazer exercícios, mas gostam daquela sensação de bem-estar que sentem após fazê-los. Sendo assim, a liberação de endorfina faz com que nos sintamos bem.  

Mas a ativação delas depende muito do tipo de atividade que você está praticando. Como se trata de um mecanismo provocado pela adaptação do corpo ao exercício, ela vai sendo liberada gradualmente desde o início da atividade.  

Algumas pesquisas afirmam que os efeitos da endorfina podem ser sentidos até uma ou duas horas após a sua liberação. Outros estudos observaram aumento das dosagens desse hormônio da felicidade até 72 horas após o exercício. 

Alguns exercícios que são ótimos para liberar grandes quantidades de endorfinas são: 

  • Corrida: Você pode fazer em casa, na rua, no parque. Onde você quiser. É só escolher um bom par de tênis. 
  • Treino funcional 
  • Aulões em grupo 

E você pode encontrar aulas e exercícios deste tipo na nossa plataforma do Desinchá Academy, YAY! 

Trouxe para vocês uma lista de coisas diferentes que podemos fazer para liberarmos uma parte da nossa querida “química da felicidade”, vulgo: a endorfina. 

1- Comer chocolate 

Siiiim! Comer chocolate estimula a liberação de neurotransmissores relacionados com o bem-estar. Isso parece até música para nossos ouvidos, né?! Dito isso, deixemos claro que comer chocolate faz com que nos sintamos felizes e satisfeitos. 

Só não vá atacar uma barra inteira de chocolates antes de terminar de ler esse texto, hein?! 

Para você usufruir dos benefícios que nosso queridinho pode oferecer, você deve consumir um quadradinho por dia, e o ideal é que seja chocolate amargo com 70% de cacau no mínimo, pois tem menos gordura e açúcar na composição, reduzindo assim o impacto negativo. 

2- Rir com as pessoas 

Pois é, estar com os amigos e pessoas que você gosta pode garantir momentos de alegria e devemos tentar praticar isso com frequência. 

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Loma Linda, na Califórnia (EUA), a endorfina liberada pelo riso pode melhorar a circulação e a eficácia das defesas do nosso organismo, evitando doenças cardíacas, por exemplo. 

Nós falamos mais sobre os benefícios de sorrir no texto O que eu aprendi ao sorrir para estranhos no ônibus, e lá você pode ver quais vantagens (além de liberar endorfinas) o sorriso pode lhe trazer. 

3- Contato íntimo 

Isso mesmo, senhoras e senhores: o prazer sexual também libera endorfinas que estimulam a felicidade e, por isso, é importante manter um relacionamento amoroso em que o contato sexual seja regular e satisfatório. 

Para se aproveitar ao máximo do contato íntimo, o ideal é que você se sinta à vontade com a pessoa que tem relações, e que todo o envolvimento afetivo contribua para a satisfação do casal, ajudando a promover a felicidade e a fortalecer o relacionamento de ambos. 

Você pode aproveitar e ler também nosso texto sobre O que acontece com o corpo depois do sexo. 

4- Seja grato 

Ter gratidão por pequenas coisas e pessoas ajuda a ativar a liberação das nossas endorfinas. 

Ser grato pelo seu trabalho, sua família, seus amigos, por ter um cachorro, uma casa, ser grato pelas coisas que você já conquistou. 

Crie o hábito de agradecer por pequenas coisas na sua vida. Que tal você listar 50 motivos para ser grato, e todos os dias agradecer por um item diferente? 

5- Cante e dance 

Cantar, dançar e assistir a filmes tristes liberam a endorfina para nosso sistema nervoso central. Ou seja, nos deixa com aquela sensação gostosa de bem-estar e felicidade também. 

Aproveite para testar suas habilidades vocais no chuveiro, ninguém é triste quando canta no banho. 

Você sabe como ativar o hormônio da felicidade?

COMO ATIVAR A SEROTONINA  

A serotonina é o nosso segundo hormônio da felicidade. Ela é conhecida por nos proporcionar prazer e conduzir impulsos nervosos de um neurônio a outro. 

Ela é produzida por meio de aminoácidos, como o triptofano, que podem ser encontrados em alguns alimentos como nozes, queijo e carne vermelha, e se localiza principalmente no sistema digestivo. 

A serotonina atinge desde nossas emoções até nossas habilidades motoras. Esse hormônio da felicidade pode regular o humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, temperatura corporal, sensibilidade e funções intelectuais e, por isso, quando este hormônio se encontra numa baixa concentração, pode causar mau humor, dificuldade para dormir, ansiedade ou mesmo depressão

Já que uma das formas de aumentar a concentração de serotonina na corrente sanguínea é consumindo alimentos ricos em triptofano, te trouxe uma série de alimentos que registraram maior aumento do nível desse hormônio no organismo: 

  • Aveia: Você pode tomar com um iogurte pela manhã.
  • Chocolate com 70% de cacau ou mais: Mas só um pedacinho, hein?! 
  • Abacate: Nada melhor do que uma vitamina de abacate. 
  • Oleaginosas: nozes, castanhas, avelã, macadâmia, pistache… 
  • Ovo: Que tal optar pelo ovo cozido? 
  • Mel: Você pode usar como adoçante. 
  • Laticínios: Queijo branco é uma delícia! 
  • Peixes: Um peixinho grelhado é uma ótima proteína
  • Grão de bico: Já experimentou o bolinho de grão de bico? 
  • Brócolis: Brócolis com alho frito é uma combinação dos deuses! 
  • Couve-flor: Já provou arroz de couve-flor? 

Esse “hormônio da felicidade” é capaz de reduzir os maus hábitos que temos, e ajuda na nossa capacidade de decisão. 

 

COMO ATIVAR A OXITOCINA 

Nosso próximo hormônio da felicidade é a oxitocina. Ele é um hormônio produzido pelo hipotálamo, mais conhecido como hormônio do amor, pois costuma ser liberado quando estamos perto de pessoas que amamos. 

Segundo a endocrinologista Tatiana Cunha, “Quando isso acontece, os níveis de cortisol (hormônio do estresse) diminuem no organismo”. 

Segundo estudo publicado em 2011 pelo ginecologista e obstetra indiano Navneet Magon, “a ligação social é essencial para a sobrevivência da espécie (humanos e alguns animais), uma vez que favorece a reprodução, proteção contra predadores e mudanças ambientais, além de promover o desenvolvimento do cérebro.” 

Por isso, o obstetra considera que a oxitocina tem uma “posição de liderança” nesse “quarteto da felicidade”: “É um composto cerebral importante na construção da confiança, que é necessária para desenvolver maior resistência emocional nos relacionamentos.” 

Por isso, aqui vão algumas dicas de como aumentar os níveis desse hormônio da felicidade: 

1- Contato Físico 

A oxitocina é feita de um sistema de recompensas que é ativado e desativado quando estamos em relacionamentos amorosos. É por isso que as relações sexuais aumentam os níveis de oxitocina. Porém, nos homens, a maior resposta emocional é liberada quando têm um orgasmo com alguém com quem possuem um vínculo emocional. 

2- Meditação 

A meditação tem a capacidade de relaxar nosso corpo e mente. Na cultura ocidental, a palavra meditação vem do latim meditatĭo, que originalmente significava um tipo de exercício intelectual.  

Neste sentido, a meditação é um instrumento valioso para o relaxamento, tanto do corpo quanto da mente. Portanto, não estando em uma situação de luta ou fuga, a oxitocina é liberada. 

3- Chorar 

O acúmulo de energia que provoca o aprisionamento de nossos sofrimentos faz com que o estresse se instaure em nossas vidas e que os problemas físicos comecem a aparecer. 

O choro é justamente a liberação desta energia. Lembre-se de como você se sentiu depois daquelas vezes em que não conseguia parar de chorar, tão relaxado como se tivesse feito uma hora de meditação. 

Abraçar também é uma forma simples de se conseguir um aumento da oxitocina. Dar ou receber um presente é um outro exemplo. 

Breuning, da Universidade da Califórnia, também aconselha construir relações de confiança, dando “pequenos passos” e “negociando expectativas” para que ambas as partes possam concretizar o vínculo emocional. 

 

COMO ATIVAR A DOPAMINA 

A dopamina é o hormônio do prazer responsável por ativar sensações positivas como motivação, luxúria, prazer, vício, euforia e concentração.  

John Salamone, professor de Psicologia na Universidade de Connecticut (EUA), fala sobre efeitos da dopamina no cérebro publicado em 2012 na revista Neuron: 

“Baixos níveis de dopamina fazem que pessoas e outros animais sejam menos propensos a trabalhar para um propósito”. 

Por isso, aqui vão alguns exemplos do que você pode fazer para ativar a sua dopamina: 

1- Faça exercícios 

O exercício aumenta os neurotransmissores múltiplos – a serotonina e as endorfinas recebem impulsos juntamente com a dopamina. 

O exercício não precisa ser árduo. Basta dar um passeio ou subir alguns degraus que você conseguirá uma boa sacudida na dopamina. 

2– Crie algo 

Assuma um hobby ou atividade em que você realmente crie algo tangível. 

Tente algo como artes, artesanato, desenho, fotografia, ou qualquer outra coisa que soe interessante para você. Isso fará com que esse seu “hormônio da felicidade” seja liberado. 

3- Aumente a tirosina 

A tirosina é considerada o elemento constitutivo da dopamina. Portanto, é importante que você obtenha o suficiente dessa proteína. Aqui vai uma lista de alimentos que vão te ajudar a aumentar a tirosina: 

  • Amêndoas 
  • Abacates 
  • Bananas 
  • Chocolate 
  • Café 
  • Ovos 
  • Chá verde 
  • Leite 
  • Melancia 
  • Iogurte 

4- Comemore conquistas diárias 

Nosso cérebro está em busca de prazer, ao mesmo tempo em que tenta fugir do desprazer. Quando você o ensina que algo é bom, através de seu comportamento, ele libera descargas do neurotransmissor dopamina. 
Quando esse neurotransmissor fica mais tempo agindo no cérebro, você fica mais entusiasmado, empolgado, motivado e focado! 

A melhor maneira de elevar a dopamina, portanto, é definir metas de curto prazo ou dividir objetivos de longo prazo em metas mais rápidas. E celebrar quando atingirmos ela. 

Então meu caro leitor, depois desse texto você deve entender a importância de termos os “hormônios da felicidade” ativos na nossa vida, afinal, eles são capazes de nos influenciar de diversas formas.  

Qual desses hormônios você precisa dar uma atenção maior? 

Assinatura Desinchá 

 

Bibliografia: 

https://www.bbc.com/portuguese/geral-39299792 

http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/leo-tubarao/post/o-que-e-endorfina-e-como-ela-funciona-no-seu-corpo.html 

https://www.tuasaude.com/endorfina/ 

https://www.boavontade.com/pt/saude/endorfina-liberada-durante-o-riso-melhora-eficacia-das-defesas-do-organismo 

https://www.ativosaude.com/saude/serotonina/ 

https://amenteemaravilhosa.com.br/7-formas-aumentar-oxitocina-corpo/ 

http://yogui.co/10-maneiras-de-aumentar-dopamina-em-seu-cerebro/ 

Comente aqui

avatar