Cores dos alimentos: Explorando um arco-íris de sabores

“Coloquem no mínimo 5 cores dos alimentos no prato para ser mais saudável”. Como nutri é meu dever e papel falar coisas como essa (ou pelo menos é o que pensam), mas já pararam para pensar que tudo o que a gente fala tem um sentido, uma base de estudos e uma comprovação?  

Pois é: A alimentação deve ser um arco-íris saborosoE é por isso que estou aqui, para mostrar como os alimentos podem ser muito interessantes de estudar, e quem sabe te incentivar a comer mais saladas coloridas e saborosas nos seus dias. 

E ah, aqui não vamos falar só de cores dos alimentos, viu? Mas de sabores também… 

Você já deve ter ouvido falar que cada ponto da nossa língua é responsável por distinguir um sabor entre: salgado, amargo, azedo e doce. O que talvez você não saiba é que temos um quinto último sabor que vou explicar mais para frente.  

E aí, preparado para entender melhor as cores e sabores dos alimentos? 

Cores dos alimentos: Explorando um arco-íres de sabores

Cores dos alimentos

A importância de se consumir um prato colorido diariamente é real. Sempre brinco com os meus pacientes dizendo para comer um arco-íris todos os dias, porque cada cor tem o seu benefício e é nelas que encontramos os micronutrientes (vitaminas, minerais, fitoquímicos): 

Roxo: estes alimentos são fonte de flavonoides (um grupo de compostos aromáticos que inclui pigmentos comuns) e vitamina B1, que atuam retardando o envelhecimento precoce, prevenindo câncer e melhorando o sistema imunológico. 

Quais são eles? Alcachofra, ameixa, uva (suco e vinho tinto), repolho roxo, berinjela, amora, e mirtilo. 

 

Laranja: alimentos que tem a cor laranja são ricos em um carotenoide (tipo de pigmento natural) chamado betacaroteno (que quando consumido é transformado em vitamina A pelo nosso organismo), que oferece ação antioxidante e costumam manter por mais tempo aquele bronzeado no verão. Eles atuam na manutenção dos tecidos, na visão, nos cabelos e ainda melhoram o sistema imunológico. 

Quais são eles? cenoura, abóbora, batata doce, laranja e mamão. 

 

Amarelo: Eles são grandes fontes de vitamina C e bromelina, substância que melhora a digestão, principalmente das proteínas. Então não é à toa que servem aquele abacaxi com limão no final de uma comilança na churrascaria, viu? Além disso, atuam diretamente no sistema imunológico, elevando a resistência a diversas doenças. 

Quais são eles? Abacaxi, maracujá, manga, caju e milho. 

 

Vermelho: outro tipo de carotenoide pode ser encontrado como o licopeno, que previnem, principalmente, do câncer de próstata. Além de vitaminas do complexo B e vitaminas A e C. Atuam combatendo radicais livres, protegendo o coração e o envelhecimento.  

Quais são eles? Caqui, morango, goiaba, melancia, tomate, beterraba, cereja e romã. 

 

Verde: assim como os alimentos laranjas, eles também contêm mais carotenoides (aquele pigmento) como betacarotenoluteína zeaxantina, além do mineral potássio, vitamina A, E e C. Ajudam a combater anemia, canceres, são desintoxicantes e melhoram a função intestinal. 

  • Atenção maior aos alimentos verdes escuros, que são fontes mais ricas de nutrientes e fibras. 

Quais são eles? Folhas em geral, abacate, brócolis, kiwi, chuchu, limão, vagem e outros vegetais. 

 

Branco: frutas e legumes brancos contêm fitoquímicos (substâncias antioxidantes que dão cor aos alimentos), são fontes de cálcio, potássio, vitamina B6. Essas substâncias são responsáveis principalmente por modular o sistema imunológico. Atuam também na elasticidade dos músculos, na manutenção dos dentes e ossos, fortalecem o sistema imunológico, reduzem o estresse e o cansaço. 

Quais são eles? Alho, mandioca, batata, palmito, couve-flor, arroz, banana, maçã, pera e leite. 

 

Marrom: alimentos fontes de carboidratos complexos, fibras, vitaminas do complexo B, magnésio e vitamina E. Apresentam função antioxidante, melhoram a função intestinal, previnem doenças cardiovasculares e cânceres, funcionam como relaxante muscular e ajudam no combate à ansiedade. 

Quais são eles? Canela, cereais integrais e oleaginosas. 

 

Agora você consegue imaginar o que todas essas cores dos alimentos no prato podem fazer de bom para o nosso corpo, né? Por isso quando a nutricionista te falar que você tem que tentar sempre colocar pelo menos 5 cores no prato, acredite nela 😉 

Falamos sobre os benefícios de cada substância que dá cor aos alimentos e porque é importante juntá-los no prato. Agora vou complementar seu prato falando sobre cada sabor e como explorar todos eles são importantes também. Não existe somente doce e salgado, ok? 

 

Sabores dos alimentos

 

O paladar é um importante sentido do corpo humano que nos permite reconhecer os sabores, além de sentir a textura dos alimentos que comemos.  

A língua, como comentei anteriormente, é o principal órgão desse sentido e é capaz de diferenciar entre os gostos doce, salgado, amargo e azedo. Se você leu até aqui, vai se lembrar que falei que existia um quinto sabor que foi recém adicionado nesse time, o umami. Esse último é o sabor produzido por alguns tipos de aminoácidos. 

Em cada região da nossa língua sentimos esses diferentes sabores, por conta das nossas papilas gustativas as e células epiteliais com propriedades neurais e são responsáveis pela percepção de sabores. É mais ou menos assim: 

 

EXPLORANDO UM ARCO-ÍRES DE SABORES

 

Doce: O sabor do leite e fruta madura, ambos são fontes de energia e nutrientes essenciais.  

Azedo: O gosto que amarra a boca de alimentos ácidos. Às vezes você pode reduzir o sal nos alimentos adicionando uma pitada de alimentos ácidos. 

Amargo: a sensação de amargo, por vezes, pode ser utilizada para fornecer um aviso contra potenciais toxinas ou alimentos não maduros. Além disso alimentos amargos são importantes para o fígado.  

Salgado: sabor dos alimentos que pode garantir balanço eletrolítico adequado (crucial para manter a função cardíaca e cerebral).  

Umami: O perfil que reforça o sabor vindo de aminoácidos naturalmente encontrados em proteínas. 

Por conta de cada sabor ter sua função, a importância de juntar os alimentos diferentes para aguçar as nossas papilas gustativas fica mais clara.  

Sei que implementar alimentos azedos e amargos é mais difícil do que comer um docinho todos os dias. Mas tudo é uma questão de hábito. Podemos SIM deixar um jiló amarga mais saborosa com temperos diferentes, acredite.  

Colocando estes sabores aos poucos na nossa rotina se torna mais fácil, isso quer dizer que você não precisa pular de um chocolate ao leite com açúcar super doce para um chocolate amargo 90% cacau… baby steps, né? Se você é uma pessoa acostumada com seu café adoçado, vá diminuindo a quantidade aos poucos e depois de um tempo, sem perceber, vai preferir o amargo do sabor do café puro. 

 

Agora tenho certeza que ficou mais interessante entender sobre os alimentos, e saber que é importante variar nossa alimentação. Não falo isso só por ser nutricionista (ou será que falo?), mas uma alimentação colorida leva muito mais sabor à vida. E quem não quer viver em um arco-íris saboroso?  

 

Falando em sabores, você já conhece os novos sabores de Desinchá? Vamos treinar suas papilas gustativas com essa novidade deliciosa, colorida e cheia de sabor?

QUERO O MEU

 

Comente aqui

avatar