Enxaqueca tem solução?

 
Enxaqueca tem solução?

Olá, querido leitor.  Hoje venho até esse espaço para falar de um assunto INSUPORTÁVEL: enxaqueca.  

E é papo sério mesmo. Você sofre com crises de enxaqueca? Se não sofre, sorte a sua. Cerca de 11% da população mundial passa por esse maldito distúrbio neurovascular crônico. Eu, que tenho a enxaqueca como uma grande parceira, posso escrever uma coisa ou outra sobre esse problema.  

É MUITO difícil conviver com a enxaqueca. Muito. É um período que pode durar até 72 horas de sofrimento constante. Luz dói, som dói, se mover dói. Não conseguir ficar de olho aberto, ter uma sensação de náusea constante e sentir uma dor (no meu caso, atrás dos olhos) insuportável são algumas das sensações que passo constantemente. 

Os principais sintomas da enxaqueca, caso você não seja familiarizado com esse monstro que habita dentro da cabeça de muitas pessoas, são:  

  • Dor latejante e pulsátil de intensidade moderada ou forte; 

  • Náuseas;  

  • Vômitos;  

  • Hipersensibilidade à luz (fotofobia), aos sons (fonofobia) e a certos odores (osmofobia), que podem durar de 4 a 72 horas e piora com o movimento; 

  • Irritabilidade; 

  • Depressão; 

  • Agitação. 

Talvez o maior problema seja o fato de que a enxaqueca é muito ampla. Parece até que ninguém sabe ao certo o que é a enxaqueca. Uma centena de coisas podem fazê-la surgir e ela pode atingir pessoas de qualquer idade, apesar de ser mais comum em adolescentes e jovens adultos, e mulheres são mais afetadas do que os homens.  

E mais: a Organização Mundial de Saúde considera a enxaqueca como a quarta doença crônica mais incapacitante, atrás apenas da quadriplegia, psicose e demência. Pois é, fiquei chocado quando descobri.  

Mas e aí, como descobrir o que fazer para tratar a enxaqueca? Bom, você provavelmente não vai saber nem se for ao médico. Sério. O melhor que um profissional pode fazer é tratar tanto com abordagens farmacológicas quanto não farmacológicas. Ou seja: prevenção e medicamentos.  

O diagnóstico é feito pelo médico baseado no seu histórico familiar e nas queixas do paciente. Se ele apresentar 3 ou 4 sintomas como os descritos mais em cima nesse post, já é constatada a enxaqueca.  

Você pode ter enxaqueca por comer chocolate (sim, é triste demais); ficar muito tempo sem comer; se estressar; ingerir muito açúcar; consumir fermentados; álcool; ficar muito exposto ao calor e mais uma infinidade de coisas. Então a melhor maneira é mudar o estilo de vida evitando tudo que engatilha a dor. A conclusão que se chega é que o cérebro da pessoa com enxaqueca não suporta muito bem os altos e baixos dessa vida (e tá tudo bem). 

Já o tratamento com medicação serve tanto para aliviar os sintomas quanto para evitar que eles se repitam. É recomendado para quem tem pelo menos 2 crises por mês. MAS LEMBRE-SE: sempre procure um médico, pois esses remédios podem ter efeitos colaterais indesejáveis. 

A dica boa que salva muita gente de uma crise insuportável é: tome o medicamento indicado pelo seu médico assim que você sentir a enxaqueca chegando, a chamada “aura”. Se você esperar suas dores ficarem mais fortes, o tempo será muito maior até se recuperar.  

É importante que as doses sejam adequadas para proporcionar alívio. O Doutor Drauzio Varella diz em seu site que essas doses devem ser:  

  • 900mg de Aspirina 

  • 500 a 1000mg de Naproxeno 

  • 1000mg de Acetaminofeno 

  • 400 a 800mg de Ibuprofeno 

Por experiência própria e de outros familiares, a enxaqueca faz com que a pessoa praticamente perca 1 dia de vida se debatendo na cama com a mão apertando a testa. Então, por favor, caso você sofra com enxaqueca, tenha sempre o remédio com você.  

Masssssss como desgraça pouca é bobagem, remédios em excesso também podem te trazer alguns probleminhas. Repetir demais o uso desses remédios, abusar dos analgésicos e aumentar as doses para alívio da dor podem acabar agravando os sintomas com o tempo.  

Agora, meu amigo, você pode ter desenvolvido uma enxaqueca só de ler esse texto. Afinal, estou escrevendo tudo isso apenas para dizer que não existe uma solução definitiva (**rindo de nervoso**). Bom, é isso mesmo. Não existe uma solução definitiva. Mas é importante sabermos tudo sobre esse problema, pois ele pode causar até depressão. Não encontrar meios de aliviar uma dor tão insuportável pode ser aterrorizante. 

Então vamos trabalhar com redução de danos. Mudanças no estilo de vida, comprovadamente, ajudam a diminuir muito as dores. Por exemplo:  

  • Alimentação equilibrada: 
    Não pule refeições. Ficar muito tempo sem comer é uma das coisas que mais faz disparar uma crise.  

  • Sono regular: 
    Tenha horários fixos para dormir e para acordar. Seja rígido quanto a isso.  

  • Prática de exercícios físicos: 
    Faça isso regularmente. Exercícios são muito eficientes contra a enxaqueca. 

  • Redução do consumo diário de cafeína: 
    E não só a cafeína. Evite alimentos e bebidas que possam te fazer mal. No meu caso, a cerveja (e qualquer outra bebida fermentada). 

  • Controle dos níveis de estresse: 
    Tenha sempre um tempinho reservado para o lazer. Precisamos relaxar, sempre!  

 

Já que não existe uma fórmula mágica para curar essa dor, vale um pouco de tudo (com responsabilidade, por favor). Então, veja só: até sexo pode ser ótimo para combater a enxaqueca, de acordo com pesquisadores da Universidade de Münster, na Alemanha.  

Segundo essa pesquisa, durante o sexo nós liberamos muito mais endorfina do que o normal. E a ação da endorfina no sistema nervoso consegue reduzir ou eliminar a enxaqueca, pois uma das funções dessa substância é exatamente combater qualquer tipo de dor.  

De vez em quando eu tenho a impressão de que a enxaqueca precisa ser mais discutida. Vejo muitas pessoas no trabalho, na faculdade (quando eu fazia) ou em qualquer lugar sofrendo com essa dor em algum momento. Pesquisando na internet você até encontra conteúdos bons sobre o tema, mas vejo pouco debate e nenhum tipo de campanha de conscientização. Nem sei se era caso pra isso, mas vejo muitos colegas perderem um dia inteiro, várias vezes, por não conseguirem se mover ou até mesmo abrir os olhos de tanto que a cabeça dói. 

Em resumo: procure diversos meios para evitar e combater a enxaqueca. E qualquer que seja o seu método, faça isso bebendo muita água, por favor. E, claro, tentando sempre levar uma vida saudável. 

E por hoje é só. Abraços! 

Assinatura Desinchá
 
 

Escrito por: Silvio Figueira
#EquipeDesinchá 💚