Loja Oscar Freire

Loja Rappi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Eu testei: ballet fitness

A gente queria uma desculpa pra testar o ballet fitness, uma modalidade que trabalha o corpo inteiro e é pra lá de dinâmica? Sim! Como se precisasse de desculpa, né? Rs  

Então eu fui lá e testei. E vim contar pra você sobre a experiência!

ballet fitness


O que é ballet fitness? 

Quando você entra no site do ballet fitness (sim, tem um site) você se depara com o conceito logo de cara: “O método é uma mistura de exercícios funcionais da ginástica e fitness com elementos básicos do ballet clássico. […]. São aulas incríveis com um circuito focado em tornear e esculpir o corpo, com alto gasto calórico e grande poder de definição e fortalecimento muscular”.

 

Como essa modalidade surgiu

Você deve estar pensando que a pessoa que criou o ballet fitness é genial. De fato, Betina Dantas, a criadora do ballet fitness, é genial. Formada pela Royal Academy of Dancing, uma das mais importantes companhias de dança do mundo, Betina já rodou o mundo dançando ballet e outras modalidades de dança

Mas a história do método não é tão feliz assim. Betina sofreu uma lesão no tornozelo, que a impedia de calçar a sapatilha de forma profissional. Com isso, adaptou os movimentos do ballet clássico e os aliou a exercícios funcionais. Assim nasceu o ballet fitness! 

Antes da criação, muitos professores já aliavam movimentos do ballet e dos treinos funcionais, mas cada um à sua maneira. O que Betina fez foi criar um método específico, que traz muitos benefícios e que pode ser aplicado de maneira mais uniforme. 

Atualmente, seu método pode ser licenciado por profissionais interessados (as), que estão espalhados em várias cidades do Brasil. No entanto, vale destacar que a maior parte dessas profissionais são bailarinos(as).

 

Quais os benefícios do ballet fitness para a saúde? 

O ballet fitness traz muitos benefícios para nossa saúde. Em primeiro lugar, vale destacar que ele pode ser praticado por qualquer pessoa acima de 14 anos, sem limite de idade. A única ressalva é se houver restrição médica ou comprometimento de articulações, joelho ou quadril. Mas cada praticante vai no seu ritmo e respeitando seus limites. 

A aula é bem intensa, com alto gasto calórico: cerca de 740 calorias em apenas 30 minutos. Os exercícios proporcionam alinhamento e definição muscular, melhoria na postura, perda de peso, tonificação, força, coordenação motora e equilíbrio. 

O ballet fitness também contribui para melhorar: 

  • autoestima e humor: por ser uma atividade física que movimenta bastante, traz o benefício comum de qualquer exercício, que é prolongar a vida, aliviar o estresse e colocar a gente lá em cima. 
  • tonificação muscular: a soma de exercícios na barra e no solo com coreografias da dança clássica faz com que o ballet fitness seja ótimo para deixar os músculos mais alongados e enrijecê-los. 
  • postura: os movimentos de balé clássico são baseados em coluna ereta, o que faz com que o praticante fortaleça os músculos das costas e do peitoral, melhorando a postura. 
  • coordenação motora: o trabalho de agilidade e flexibilidade proporciona melhoria na coordenação motora. 

O que eu senti ao experimentar uma aula de ballet fitness? 

Primeiro, vamos às informações básicas. Eu nunca tinha praticado a modalidade, mas faço atividades físicas todos os dias por, no mínimo, 30 minutos. Há décadas. Misturo treinos funcionais e de força com yoga. Então, considere minhas impressões como a de uma pessoa bem condicionada fisicamente, ok? 

Entrei no YouTube, digitei Ballet Fitness e apareceu um tanto de opção. Escolhi uma aula de aproximadamente 45 minutos do Alexandre Bóia.  

A aula é muito dinâmica e guiada com diversas músicas e repetição de movimentos. O ballet fitness me pareceu, de fato, uma modalidade completa. Ela misturou momentos mais aeróbicos, com força e flexibilidade. 

Suei? Um pouco. Não é difícil como alguns treinos que realizo, mas não é fácil. Em uma escala de 0 a 10, onde 0 é facílimo e 10 é muito pesado, eu colocaria como esforço 5, moderado. Para alguém com menor carga semanal de atividades, acredito que chega a 7. 

O ponto forte que achei foi a precisão de movimentos, algo próprio do ballet clássico. É até bonito de ver. Se você se empenha para alcançar qualidade de movimento, o esforço é maior.  

Outra questão legal (e que me fez comer mosca em algum momento) é o trabalho de coordenação motora. Teve uma hora que deu um nó, e eu dei risada. Ótimo ponto para aprimorar! E os glúteos, meus amigos e minhas amigas? Queimaram muito nos exercícios unilaterais! Essa aula de ballet fitness trabalhou bastante esse grupo muscular. 

No final da aula, fomos para o chão fazer uma série de abdominais e, obviamente, mais glúteo. Por fim, acho que vale pinçar as dicas que o professor soltou no meio da aula (e acrescento uma última minha): 

  • Levanta a cabeça, princesa e príncipe, queixo paralelo ao chão, com o topo da cabeça apontando para o teto. Nada mais é do que manter uma postura ereta a todo o momento. 
  • Abdômen contraído para estabilizar o tronco e melhorar a execução dos movimentos. 
  • Nos exercícios que trabalham mais as pernas, principalmente os unilaterais, coloque o peso no calcanhar, e não nos joelhos. O trabalho no joelho e nas articulações é intenso mesmo! 

 

O ballet fitness pode ser uma excelente modalidade para substituir a musculação e outros tipos de treino. Se você sempre quis experimentar os movimentos clássicos, sua oportunidade está bem à sua frente! 

E tem outras opções que misturam dança, como a zumba. Já testou? 

Comente aqui

avatar