Loja Oscar Freire

Loja Rappi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Guia de alimentação saudável para bebês

Esse texto é especialmente para você (mamãe ou papai) que entrou em uma fase linda, que é a criação do bebê. Ele vai te ajudar a escolher o modo mais saudável, prático e divertido de como seguir uma alimentação saudável para bebês. 

Focamos muito aqui no blog na importância dos bons hábitos e da alimentação saudável em nós adultos. Mas nada mais justo do que orientar uma alimentação saudável para bebês, né? Afinal, quando temos uma educação nutricional desde o crescimento, ou quando a família se orienta, a possibilidade de termos adultos saudáveis no futuro é muito maior. 

Pensando nisso, já escrevi um texto aqui sobre como lidar com a alimentação infantil, ressaltando dicas para crianças. Por isso resolvi criar um texto focado para os bebês, até porque,  tudo muda. 

Guia de alimentação saudável para bebês

 

Seu bebê acaba de completar 6 meses, e agora?

Bom, como alguns já devem saber, 6 meses é a idade quando a introdução alimentar começa. O que significa que o bebê nãos será alimentado somente pelo leite materno e sim por comida de verdade. Mas vamos com calma, a consistência será totalmente diferente de uma criança que já “come igual adulto”. 

Agora é a hora do bebê ter seu primeiro contato com o alimento. Você irá, aos poucos, começar a introdução de outros alimentos, mantendo o leite materno até os 2 anos de idade ou mais.  

Com a alimentação complementar seu bebê vai desenvolver a capacidade de mastigação e deglutição (porque até agora ele só havia engolido líquido) e o gosto por novos sabores, cheiros e texturas. Vale lembrar que o acompanhamento com um pediatra e nutricionista nessa nova fase é muito importante. 

 

Orientações básicas de alimentação saudável para bebês: 

  • Seu bebê já tem uma noção de se autorregular, o que significa que ele só come o quanto quer e precisa. Não é necessário deixar suas expectativas altas para ele comer sempre tudo o que você oferece a ele. Seu estômago ainda é pequeno e o leite materno ainda é seu principal alimento, acredite.  
  • Se a criança está mamando no peito, três refeições por dia com alimentos adequados são suficientes para garantir uma boa nutrição e crescimento, no primeiro ano de vida. Mas se seu bebê não está mamando no peito, deve receber cinco refeições por dia com alimentos complementares a partir do sexto mês.  
  • Comece oferecendo um suco de frutas entre as mamadas. Por exemplo: laranja, maracujá, manga, melancia, melão, goiaba, pêssego, caju, acerola; uma por vez, alternando as frutas. A papinha de fruta também é bem-vinda. Alimentos mais docinhos, como as frutas, são mais aceitos no começo do que os salgados que ainda são uma novidade muito grande para os pequeninos.  
  • A alimentação complementar deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-se sempre a vontade do seu pequeno.  
  • A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher; começar com consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até chegar à alimentação da família.  
  • Prepare os alimentos especialmente para seu filho. Eles devem ser bem cozidos, sendo que deve sobrar pouca água na panela, ou seja, somente a quantidade de água suficiente para deixar a comida mais molinha para fácil mastigação e deglutição.  
  • A papa salgada deve conter um alimento de cada grupo: legumes e/ou verduras, cereal ou tubérculo, feijões e carne ou vísceras ou ovo. Devem ser oferecidas amassadas com um garfo e, de preferência, não devem ser todos misturados no prato (pratinhos com divisões são uma boa opção).  
  • Aos 7 meses vocês já podem começar a introduzir a segunda refeição salgada na dieta do bebê, podendo ter pedaços pequenos, não totalmente amassada (incentivando a mastigação). Nesse ponto o bebê começa a entender melhor as texturas e consistências diferentes.  
  • Importante oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida.  
  • É normal que o bebê demonstre desagrado pelo sabor ou textura de algum alimento novo. Mas não desista de primeira! É necessário que a criança prove pelo menos 8 vezes um alimento para que ele aprenda a gostar (ou realmente desgostar).  
  • A partir dos 8 meses, algumas preparações da casa como o arroz, feijão, cozidos de carne ou legumes podem ser oferecidos à criança, desde que amassados ou desfiados e que não tenham sido preparados com condimentos (temperos) picantes.  
  • Lembrando que mesmo com a alimentação complementar, a criança pode continuar a mamar no peito até os dois anos ou mais. O leite materno continua alimentando a criança e protegendo-a contra doenças.  
  • No primeiro ano, evite oferecer os alimentos misturados para que a criança tenha a oportunidade de conhecer os novos sabores e texturas  

 

Esquema alimentar para seu bebê 

Esquema alimentar para seu bebê 

 

Grupos de alimentos para sem inclusos na alimentação dos bebês:

Grupos de alimentos para sem inclusos na alimentação dos bebês

Proteínas 

Introduzindo cada vez mais as carnes (bovina, frango ou peixe) cozidas na sopa e somente para dar sabor e textura (batido na sopa). Com o passar dos meses, é possível deixar com mais textura e menos triturado, incluindo na própria papa salgada. Lembrando que a fonte de proteína não necessariamente deve ser animal, proteínas vegetais também são bem-vindas!  

 

Ovo 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a introdução de ovos deve ser feita a partir do primeiro ano de vida do bebê para minimizar risco de alergias. O ovo é uma ótima fonte de proteína e pode substituir as carnes citadas acima. A gema deve ser introduzida de forma progressiva, por exemplo esfarelada na sopa.  

 

Frutas  

A partir dos 8-9 meses o bebê já consegue agarrar objetos pequenos usando os dedos como pinças. Então podemos abusar nas frutas que já possuem uma consistência mais molinha como banana e mamão, dando para eles tentarem comer sozinhos, fazendo maior movimentos com as mãos e boca.  

 

Quando o bebê completar 1 ano, ele já estará habituado ao padrão alimentar da família, que deve ser completo, variado e equilibrado. O bebê se sente cada vez mais seguro de si próprio e das suas preferências, está apto a explorar o mundo por sua conta. Esta é uma nova etapa do desenvolvimento onde se deve proporcionar ao máximo novas experiências, incluindo as gastronômicas.  

 

Agora é com você! Hora de colocar tudo o que você leu aqui, em prática. Sei que nem sempre agradar o paladar dele é fácil, mas aposto que com essas dicas será muito mais tranquilo trazer uma alimentação saudável para bebês.  

Ah! Antes de você ir… Se você acha que esse texto te ajudou a entender melhor sobre a alimentação do seu bebê, já imaginou poder ter mais informações sobre a infância inteira? Criamos um e-book para você sobre a alimentação desde a gestação à adolescência, para você que está nessa fase tenho certeza de que não vai querer ficar fora dessa! Clique no banner abaixo e acesse já! 

 

E-book Guia de alimentação infantil

Por Nutri Vitória Campos

Comente aqui

avatar