Loja Oscar Freire

Loja Rappi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Hormônios: os reais responsáveis pelo emagrecimento

Uma série de fatores interfere em nosso emagrecimento. Pensamos sempre na balança com alimentação e atividades físicas. Mas há algo por trás da alimentação e dos nossos hábitos que tem peso fundamental na perda e no ganho de peso: nossos hormônios.

hormônios


Os hormônios e seu papel no corpo 

Hormônio são substâncias produzidas nas glândulas endócrinas. Cada um deles exerce uma função em nosso organismo. O principal objetivo é regular as funções biológicas. Mas os fatores externos, como hábitos, interferem em sua produção, liberação ou ação no órgão alvo. 

Gilberto Kocerginsky, médico e membro da Academia Americana de Medicina Anti-idade e do Instituto de Medicina Metabólica, explica: 

Os hormônios funcionam como mensageiros no nosso corpo, orientando a célula sobre o que fazer e o que produzir. Eles atuam como chaves para ligar e desligar o processo metabólico. Sem chaves, não há a ligação; por outro lado, se tiver em excesso, o corpo pode diminuir o número de fechaduras (receptores das células) para tentar manter a harmonia metabólica. Logo, a falta e o excesso de hormônios são prejudiciais”. 

Então, quando falamos da ação dos hormônios no corpo, a palavra de ordem é EQUILÍBRIO. E isso interfere diretamente na perda ou no ganho de peso. Tudo que consumimos é é controlado e modulado por hormônios. 


Hormônios atuantes no peso 

Você já se perguntou como estão os níveis de hormônio no seu corpo? Eles afetam todo o nosso organismo, como demonstramos. Não surpreende, portanto, que ele influencia na perda ou no ganho de peso. Por isso, precisamos sempre adotar práticas saudáveis para manter o equilíbrio. 

De acordo com Guilherme Corradi, médico do esporte e membro da Academia Americana de Medicina Esportiva, “os hormônios também são responsáveis pela velocidade do metabolismo, ou seja, pela quantidade de calorias que gastamos durante o dia. Se estiverem desregulados, não tem jeito, perder peso e até construir mais músculos ficará bem difícil”.  

Por isso, elencamos a seguir os principais hormônios que podem interferir no emagrecimento.  


Cortisol 

O cortisol é um hormônio com muitas funções importantes. Controle de estresse, redução de inflamações, funcionamento do sistema imune são algumas. No que diz respeito ao peso, contribui para glicemia de jejum e função muscular.  

Quando os níveis de cortisol estão altos, a pessoa não fica somente irritadíssima. Ela também ganha alguns quilos na balança, pois há um aumento da gordura abdominal e diminuição da massa muscular. 


Testosterona e estrógeno 

A testosterona é o principal hormônio sexual masculino, enquanto o estrógeno é o principal hormônio sexual feminino. Ambos, porém, se fazem presentes em todos os corpos. Além de serem responsáveis pelas características postas como femininas ou masculinas, têm papel relevante no emagrecimento. 

A testosterona desempenha papel importante no desenvolvimento da massa muscular. Por isso, baixos níveis podem levar ao ganho de peso (sem falar na diminuição da libido). O estrogênio tem o efeito contrário. Altos níveis desse hormônio levam ao ganho de massa gordurosa. 


Grelina e GH 

Grelina é o hormônio responsável pelo estímulo da ingestão alimentar. Ela diz para nosso cérebro que você quer comer em breve (ou agora). Sua concentração varia durante o dia, e ocorre um pico antes das refeições. Vale aqui a lembrança do nosso texto sobre crononutrição

O importante sobre a grelina é que ela pode levar a diminuição da adiposidade ao estimular a produção de GH, o hormônio do crescimento. Sim, o GH não foi só o responsável pelo seu estirão de crescimento na adolescência. Ele é fundamental para o metabolismo da gordura e a manutenção da massa muscular. 

Depois dos 30 anos, o GH cai bastante. Isso é ruim. Mas pode ser pior, se você adotar hábitos ruins, como sedentarismo, tabagismo, dieta inadequada e sono de má qualidade. 


Leptina 

A leptina é um hormônio produzido principalmente pelas células adiposas e atuante no Sistema Nervoso Central. Ele controla o apetite e a saciedade. Por isso, é fundamental para o controle de peso corporal. Essas células sinalizam ao hipotálamo que há acúmulo de gordura, ajustando a ingestão alimentar. Em outras palavras, o hormônio adapta seu comportamento alimentar conforme seus estoques de energia. 

Se a quantidade de gordura for grande, mais leptina é produzida. Isso pode gerar resistência à sua ação, quadro muito comum em indivíduos obesos. Mas se houver grande perda de gordura rapidamente, a leptina abaixa bastante. O apetite aumenta e o funcionamento do metabolismo basal reduz, o que dificulta a perda de peso. Por isso, o interessante é ter o hormônio equilibrado. Para quem deseja emagrecer, o processo deve ocorrer de forma gradual. 


Outros hormônios

Outros três hormônios interferem no peso corporal: 

  • Irisina: recentemente descoberto, esse hormônio é liberado pelas células musculares por meio do estímulo de exercícios físicos. Por isso, favorece a termogênese e a oxidação de gordura (devido à formação do tecido adiposo bege). Ou seja, provoca maior perda calórica. 
  • Tireoide: responsável pelo metabolismo do organismo, age regulando frequência cardíaca, temperatura corporal, metabolismo de colesterol e glicose. Se estiver baixo (hipotireoidismo), seu metabolismo fica lento. O resultado é, entre outros problemas, a dificuldade de perder peso. 
  • Serotonina: o hormônio da felicidade tem diversas funções no organismo, inclusive no apetite. Se ele estiver baixo, você terá mais desejo em comer doces e carboidratos refinados. Um perigo! 


Aprenda a regular seus hormônios 

A regulação hormonal do nosso corpo demanda uma análise individualizada por um especialista. Há mulheres que produzem baixos níveis de testosterona, por exemplo. E, apesar de ele ser o hormônio sexual masculino, sua presença no corpo feminino é muito importante. Por isso, o médico deve avaliar e prescrever o necessário para que a pessoa tenha os níveis hormonais equilibrados. 

No entanto, existem algumas práticas saudáveis que podemos adotar no nosso dia a dia. Com elas, conseguimos o equilíbrio dos hormônios que interferem no emagrecimento. Veja: 

  • Ter uma alimentação equilibrada: o consumo de alimentos ricos em fibras ajuda a controlar a insulina, aumenta a saciedade e reduz o consumo de alimentos, interferindo positivamente na leptina. O consumo de proteínas também trabalha neste sentido. 
  • Realizar atividades físicas: estimula a irisina e a serotonina, contribuindo para a perda calórica e para a regulação do apetite. O exercício físico também é ótimo para controlar estrógeno e testosterona. 
  • Não permanecer muitas horas em jejum: ajuda no controle de cortisol. 
  • Ter uma boa noite de sono: garante a produção adequada de GH. 

A alimentação e os hábitos saudáveis são seus maiores aliados no controle hormonal e, como consequência, no emagrecimento. Sabe o que também te ajuda a entrar nos eixos da saúde? O Desinchá

Desinchá sabores

Comente aqui

avatar