Loja Oscar Freire

Loja Shopping Iguatemi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

0800 580 3055

Novembro Azul é um pedido de socorro

O novembro azul está aí para levantar uma bandeira muito maior que a prevenção do câncer de próstata: a falta de cuidado com a saúde masculina. 

Em pesquisa sobre a saúde do homem, a Dra. Lilia Blima Shraiber traz que o cuidar de si, a valorização do corpo no (sentido da saúde) e o cuidar dos outros não são questões colocadas na socialização dos homens. Ela pontua que ser homem e viril é uma construção embasada na alta resistência às doenças, menos cuidado consigo e às práticas sexuais de risco, justificando maior número de parceiros ou parceiras e sentimento de autoproteção. Outras pesquisas brasileiras trazem ainda que os homens assumem papel de provedor, trabalhador inesgotável, que realiza tarefas mais perigosas e toma menos medidas de proteção individual.  

Mas será que ser homem é isso mesmo? Em 2003, um grupo de amigos australianos percebeu que a única moda dos anos 70 que não havia voltado era o uso de bigodes. Como uma brincadeira, decidiram ficar por um mês bigodudos e criaram até uma premiação para o pior e melhor bigode. No ano seguinte, eles quiseram ir além e trazer algum significado para um símbolo tão masculino.  Foi inspirado no Outubro Rosa, que os amigos uniram o mês do bigode ao mês de consciência sobre doenças relacionadas à saúde masculina, em especial, o câncer de próstata. Com o passar do tempo, o movimento ganhou espaço e adesões, tornando o evento oficial em prol da saúde do homem.  

Aqui no Brasil, em 2008, o Instituto Lado a Lado Pela Vida trouxe a campanha “Um Toque, Um Drible” que chamava atenção para o câncer de próstata, mas só em 2012 instituiu o nome Novembro Azul.  

Novembro Azul: Como a masculinidade pode fazer mal à saúde

 

Melhor prevenir que remediar 

A única forma de garantir cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce, por isso, é de extrema importância que os homens associem cuidado com a saúde à masculinidade. Saiba que uma a cada 6 pessoas com próstata acima dos 50 anos é acometida pela doença.  

O exame do toque é motivo de piada e humilhação em pequenos grupos e é um dos impeditivos de cuidar da saúde masculina.   

 

Preconceito contra o exame de próstata

 

A medicina está avançada a ponto de ter outras opções de diagnóstico além do exame de toque. Ultrassom e exame de sangue também ajudam na detecção do câncer, basta fazer um acompanhamento com urologista e entender seu próprio corpo.  

A chance de cura é de mais de 95%! Conheça os fatores de risco. 

– Idade (62% dos casos acontecem a partir dos 65 anos) 

– Histórico familiar 

– Raça | Pessoas negras têm maior incidência 

– Má Alimentação | à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos 

– Sedentarismo 

– Obesidade 

Conhecer o seu corpo e reconhecer fragilidade também são coisa de homem.  

O câncer de próstata é uma neoplasia, ou seja, um crescimento anormal de tecido. Os sintomas são fluxo urinário fraco ou interrompido, impotência, sangue no líquido seminal, dor ou ardência durante o xixi, fraqueza ou dormência nas pernas ou pés, perda de controle da bexiga ou intestino, dores nas costas, quadris, coxas, ombros e ossos.  

Mesmo sem sintomas, homens ou mulheres trans a partir dos 45 anos com fatores de risco ou 50 anos sem os fatores de risco devem ir ao urologista.  

 

O câncer de próstata tem 4 estágios

 

Câncer de próstata

 

Câncer localizado: 

Estágio T1: é quando o tumor não é detectável por toque e apenas algumas células são cancerígenas. Aqui, o paciente não apresenta sintomas da doença, por isso são importantes as visitas ao urologista.  

Estágio T2: é quando o câncer pode ser percebido por um caroço e parece estar totalmente contido dentro da glândula, seja em ambos os lobos da Próstata ou apenas um. 

 

Câncer avançado: 

Estágio T3: é quando o câncer se estende além das próstatas ou vesículas seminais. 

Estágio T4: Corresponde a um câncer que se espalhou para outros órgãos perto da Próstata, como a bexiga e ou reto. 

 
O câncer de próstata tem cura 

Quanto mais cedo ele for descoberto, menos esforços vão ser precisos para a sua cura total. Para ajudar na prevenção, além de ir ao urologista, você pode compartilhar este texto e trazer o assunto novembro azul para a conversa.  

 
E aí, vamos fazer parte do Novembro Azul?

 

Produtos Desinchá

 

 

Fontes: 

TED TALK | Healthier Men – One Moustache At a time 

SCIELO | Um novembro nem tão azul

Novembro azul vai à escola 

Hifu | Câncer de Próstata

Sociedade Brasileira de Análise Clínica 

Comente aqui

avatar