O sarampo é mesmo perigoso?

Antes de você começar o texto, saiba que sim: o sarampo pode ser fatal. O assunto voltou a ser pauta na mídia depois que a Organização Mundial da Saúde anunciou um novo surto em alguns países. Entre eles, o Brasil.  

Aqui, o estado que mais teve casos de sarampo foi São Paulo. Até a data de publicação deste texto, foram mais de 2400 casos, com aumento de 37% em relação à semana anterior. Sabe o que isso quer dizer? Que não dá para ficar deixando a vacina para depois.

O sarampo é mesmo perigoso?

O vírus do sarampo é altamente contagioso 

Em entrevista ao jornal O Globo, o infectologista Celso Granato diz que como a taxa de transmissão do sarampo é muito alta, uma pessoa infectada consegue contaminar de 12 a 18 pessoas. Imagine: se 15 são contaminadas, teremos mais de 200 infectados em alguns instantes.  

A transmissão do vírus do sarampo acontece por meio da tosse, fala, ou quando o doente respira perto de outras pessoas. É simples assim: se uma pessoa infectada espirra em uma superfície, o vírus fica ativo naquele lugar ou no ar por até 2 horas, infectando quem passa por ali. Sem contar que a pessoa contaminada começa a infectar outras até 4 dias antes de saber que está doente.  
 

Mas não são só umas manchinhas no corpo? 

Não. O sarampo é uma doença grave que pode desencadear outras condições e deve ser levada a sério para evitar a morte precoce.  

Os sintomas do sarampo são irritação nos olhos, febre com tosse, coriza ou nariz entupido e mal-estar intenso. Depois de 3 a 5 dias, podem aparecer manchas vermelhas no rosto que se espalham pelo corpo. O Ministério da Saúde alerta que, depois das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos.  

O sarampo deixa o corpo vulnerável e permite a evolução dos sintomas para doenças mais graves como pneumonia, otite que pode resultar em perda permanente da audição, encefalite aguda e, mulheres grávidas infectadas, podem ter parto prematuro.  

A complicação proveniente do sarampo é uma das principais causas de mortalidade infantil. 1 em cada 20 crianças com a doença desenvolvem pneumonia e 100 em cada 1000 crianças com encefalite aguda morrem. Já nos adultos, o sarampo desenvolve para pneumonia, podendo também levá-los à morte. 

 

A única maneira de se evitar o sarampo é pela vacina

O sarampo é um vírus e não tem tratamento. Ao ser infectada, a pessoa precisa esperar o corpo reagir e combater o sarampo naturalmente. A vacina é uma versão do vírus enfraquecido que funciona como um treinamento ao nosso sistema imunológico. Com ela, ensinamos o corpo a combater o vírus quando ele realmente aparecer.  Sem a vacina, o corpo fica despreparado e tem mais chances de padecer ao ser infectado.  

 

Mas existe uma boa notícia  

A vacina do sarampo é 97% eficaz e é distribuída gratuitamente pelo SUS!  

 

Quem deve tomar a vacina contra sarampo? 

O surto de sarampo no Brasil tem alguns estados e cidades principais, mas, mesmo se você não está em um deles, não custa deixar a carteira de vacinação em dia, certo?   

  • Pessoas de 12 meses a 29 anos de idade devem tomar 2 doses de tríplice viral com intervalo mínimo de 30 dias entre elas. 
  • Pessoas de 30 a 49 anos de idade não vacinadas devem tomar 1 dose de tríplice viral.  
  • Profissionais de saúde não vacinados devem tomar 2 doses da vacina tríplice viral independentemente da idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas. 

 

Mulheres grávidas podem tomar? 

O Ministério da Saúde contraindica a vacina durante a gestação porque ela nada mais é do que o vírus do sarampo vivo, mesmo que enfraquecido. Como durante este período o sistema imunológico da mulher fica mais vulnerável, a vacina tem mais chances de desenvolver a doença e trazer complicações.  

O indicado é que a mulher com planos de engravidar tome as vacinas necessárias antes da gravidez para se proteger e proteger o bebê.  

 

A vida de outras pessoas está em risco 

Mulheres grávidas, pessoas imunodeprimidas, alguns pacientes com HIV e pacientes oncológicos não podem tomar a vacina. Por isso, quanto mais pessoas estiverem protegidas, mais esses grupos estarão seguros e têm mais chances de sobreviver. 

A vacina é uma responsabilidade social.  

Procure o posto mais perto e proteja-se. 

Assinatura Desinchá
 

Fontes: 

Globo | Casos de Sarampo triplicam em 2019, segundo OMS. 

Naçoes Unidas | Casos de Sarampo triplicam em 2019 

Ministério da saúde | Sarampo 

G1 Bem-Estar | Como o Sarampo Mata as Pessoas 

Gazeta do Povo | São Paulo confirma Primeira Morte por Sarampo  

 

Comente aqui

avatar