Ode à massagem

Toda segunda-feira a gente conversa sobre as pautas que pretendemos escrever na semana aqui para a Desinchá. “Você já pensou em escrever sobre massagem?”, um colega perguntou. “Não, por quê?” Enquanto isso, outra das nossas colegas apertava meus ombros (uma tática que ela descobriu ser muito eficiente ao me pedir demandas).

Então tudo bem… Meu colega tinha um ponto. Desde a época da escola, eu era aquela pessoa que subornava os amigos e amigas a sentarem atrás de mim e… ADIVINHA. Mesmo reconhecendo isso, eu ainda não sabia direito O QUE exatamente escrever sobre massagem, e foi quando decidi que precisava de um pouco de inspiração.

Depois do trabalho eu iria passar numa clínica e fazer uma massagem. (Grande pausa agora, porque óbvio que não poderia continuar esse texto ANTES de fazer isso, hah!)

Ode à massagem

E enquanto eu relaxava deitada na maca de massagem, ouvindo uma música suave, e a terapeuta bezuntava meu corpo com creme – dos pés ao pescoço -, usando só top e calcinha, sentindo o cheiro herbal de óleos essenciais… Só conseguia pensar em como os detalhes são importantes. As coisas pequenas. Aqueles momentos que tiramos para cuidar da gente. Como isso é precioso!

Quer saber? A partir de agora, sucesso para mim inclui uma massagem semanal. É isso.

Porque a vida é curta demais para a gente não procurar formas de agradar a si mesmx.

Isso pode parecer egoísta, mas até o egoísmo tem suas virtudes e sua sabedoria.

Quantas vezes ficamos pensando em agradar todo mundo, e esquecemos de… Nós?

Então, mais do que um texto sobre massagem (aham, *limpa a garganta*), quero te desafiar a fazer o mesmo.

Cachorrinho recebendo uma massagem

Tirar um tempo para você.

Para ser um tantinho egoísta.

Para cuidar de VOCÊ.

Para fazer isso hoje.

E amanhã.

E depois de amanhã.

Tenho certeza que você dá duro, e às vezes esquece que relaxar é preciso. E mais: você merece.

Assinatura Desinchá

Comente aqui

avatar