Loja Oscar Freire

Loja Rappi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Percentual de gordura: o que é relevante nesse dado?

O padrão de beleza posto pela sociedade é magro e está incutido em nossa mente. Mesmo sem perceber, estamos na frente do espelho olhando o tamanho da barriga. Fotos de antes e depois pipocam nas redes sociais. De repente, estamos em cima da balança conferindo o peso… “Como será que está meu percentual de gordura?”

Aqui, defendemos a desconstrução do padrão estético, o trabalho à aceitação e o enaltecimento de todos os corpos. Magros, gordos, altos, baixos, simétricos, assimétricos. Para nós, o que importa é saúde e bem-estar, e isso vai além do corpo “perfeito”. É por isso que vamos falar do percentual de gordura. Ele não diz respeito à estética, mas à saúde fisiológica.

percentual de gordura

Composição corporal e percentual de gordura 

Composição corporal é um indicador que reúne o quanto temos de gordura e de massa magra. Ele revela dados importantes sobre saúde física e nível de boa forma de cada um. O percentual de gordura é, portanto, um dos índices que faz parte da composição corporal.

A taxa de gordura corporal é, na teoria, a soma da gordura visceral (localizada entre os órgãos) com a gordura subcutânea (que fica abaixo da pele). Ela é classificada em faixas conforme o sexo biológico e a idade. A diferença entre os sexos feminino e masculino se dá porque o primeiro tem 5% de gordura corporal a mais.

Esse “acréscimo” é necessário para manter os níveis hormonais estáveis. A gordura corporal em nível saudável ajuda na funcionalidade dos órgãos reprodutores femininos, contribuindo para um ciclo menstrual mais regular e saudável.

Considerando uma média, o percentual de gordura saudável fica entre 18% e 22% (sexo feminino) e 18% e 21% (sexo masculino). O percentual prejudicial para a saúde é acima de 25% (sexo feminino) e 22% (sexo masculino).

Veja a seguir a referência para os sexos masculino (M) e feminino (F):

Classificação por faixa etária 20 a 39 anos

M / F

40 a 59 anos

M / F

60 a 79 anos

M / F

Pouca gordura < 8% / < 21% < 11% / < 23% < 13% / < 24%
Saudável 8% a 20% / 21% a 33% 11% a 22% / 23% a 35% 13% a 25% / 24% a 36%
Acima do peso 20% a 25% / 33% a 39% 22% a 28% / 35% a 40% 25% a 30% / 36% a 42%
Obesidade > 25% / > 39% > 28% / > 40% > 30% / > 42%

Cálculo do percentual de gordura 

O cálculo do percentual de gordura, de acordo com o Dr. Renato Zilli, endocrinologista do Hospital Sírio Libanês, pode ser feito de várias maneiras: “endocrinologistas podem pedir um exame mais detalhado, dependendo do caso da pessoa. Tal tipo de diagnóstico é obtido com imagens, não apenas com números, para se ter uma visão completa sobre a saúde do paciente”.

O tipo de exame depende de uma série de medidas, como IMC, circunferência da cintura, altura e peso. Pessoas saudáveis, sem irregularidades no percentual de gordura, podem se submeter à bioimpedância (soma as gorduras visceral e subcutânea) ou ao adipômetro (mede as dobras cutâneas e a gordura nelas presente).

Para quem está com o percentual de gordura alto, os especialistas recomendam a absorciometria por raio-X de dupla energia (DXA). Ainda há a possibilidade do profissional de saúde solicitar densitometria óssea, tomografia e ressonância magnética para mapear esse percentual.

O percentual de gordura ideal 

O percentual de gordura ideal é aquele que se encaixa na faixa saudável. E a faixa existe porque cada indivíduo é único. Uma atleta jovem, por exemplo, costuma ter entre 15% e 18%, e o percentual de gordura é considerado ótimo. Mas a faixa ideal para a mesma atleta aos 60 anos é diferente.

O que devemos ter em mente é que a gordura corporal é essencial à saúdeÉ responsável por fornecer energia, proteger e revestir os órgãos, além de regular os hormônios. O perigo está em seu excesso e na falta.

O excesso de gordura corporal provoca aumento no nível de colesterol e hipertensão. Isso eleva o risco de diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e derrames. Em geral, o aumento no percentual de gordura ocorre por dieta descontrola, falta de atividade física, excesso de uso de medicamentos, como corticoides e anti-inflamatórios, tabagismo e excesso no consumo de álcool.

E se meu percentual de gordura estiver baixo demais? Além da queda no nível de energia, você terá maior propensão a doenças, problemas digestivos, impacto negativo nos níveis hormonais e na densidade óssea.

Por isso, o bom mesmo é equilibrar!

Mitos e verdades sobre o percentual de gordura 

Mito: todo magro é saudável. 

Não. Pessoas acima do peso podem ser saudáveis, pessoas magras podem não ser saudáveis. Tudo pode acontecer. O percentual de gordura é apenas um indicador da composição corporal. Outros fatores, combinados ou não ao excesso de peso, podem ser muito mais relevantes para a saúde. Hábitos alimentares ruins e sedentarismo, por exemplo.

Verdade: gordura visceral é perigosa. 

Muito perigosa. O alto nível de gordura visceral aumenta o risco de doenças diversas, como diabetes, doenças cardiovasculares, distúrbios lipídicos e outras.

Verdade: a idade interfere no percentual de gordura. 

Sim. Com o passar dos anos, nosso metabolismo desacelera, e a tendência é ganhar peso. Jovens, por exemplos, têm maior propensão a armazenar gordura sob a pele, e não ao redor dos órgãos da cavidade abdominal.

Cortar calorias é o caminho para perder gordura. 

Depende. O conjunto de hábitos saudáveis é o caminho para perder gordura. Ter uma dieta equilibrada, focada em alimentos de qualidade (fibras, proteínas magras etc.), dormir bem e praticar atividades físicas regulares é a recomendação. O foco é emagrecer de maneira correta.

Fazer um regime radical é uma péssima ideia, inclusive.

 

Entender a importância do percentual de gordura é fundamental para sua saúde, não para a estética. A grande vilã foi, inclusive, tema de texto por aqui. Confira mais sobre a gordura visceral e seus prejuízos!

Comente aqui

avatar