Quando parei de fumar UM FATOR foi essencial

Quando parei de fumar UM FATOR foi essencial

Fumei por 10 anos. Na maior parte desse tempo fui aquela pessoa usando preto, recostada contra o muro com uma expressão bem blasé, tragando um cigarro. Às vezes alguém passava e dizia o óbvio: “Fumar mata!”. E eu gritava de volta, ainda mais alto: “Eu amo aquilo que mata!” OU “Liberdade para escolher como a gente quer se estragar!” (porque gentileza gera gentileza).

mulher fumando.gif

No resto desse tempo, pensei em parar. Até conseguia passar alguns dias (uma semana, vai!) sem cigarro, mas inevitavelmente voltava ao hábito. A maior taxa de sucesso por acaso acontecia nas férias. Mas aí era só voltar ao trabalho, no esquema #vidaloka 24/7, para logo recorrer ao meu método preferido de aliviar a tensão.

Criei uma política de redução de danos. Passei a comprar tabaco e enrolar meu próprio cigarro ao invés de comprar maços industrializados. Só de imaginar ter que enrolar um novo cigarro a cada vez que eu sentia vontade de fumar, aaaaargh! A preguiça virou minha aliada para ajudar a diminuir meu consumo. Mas não parei.

Inventei uma regra aleatória de só fumar se estivesse bebendo água.

Também não parei.

No fim, o que me ajudou foi um detalhe fundamental. Algo que você pode aplicar se estiver tentando se livrar de qualquer mau hábito. Isso tem TUDO a ver com o poder do nosso meio ambiente.

Nós não costumamos pensar sobre isso, mas o ambiente onde a gente está influencia nosso comportamento (E MUITO!).

Por exemplo:

  • Se tem bolo de chocolate na dispensa, é provável que a gente coma.

  • Se o bolo estiver na mesa da sala, as chances aumentam consideravelmente.

  • Se dormimos com o telefone perto, é provável que a gente veja as atualizações imediatamente após acordar.

  • Se o controle da TV está no sofá, aumentam as chances de ligarmos o aparelho.

  • Se nosso despertador fica ao lado da cama, aumenta a probabilidade da gente usar o recurso de “soneca”.

quebrando o despertador.gif

Toda a nossa evolução (o processo biológico, não a metáfora do desenvolvimento pessoal) aconteceu em resposta ao meio ambiente.

A diferença é que hoje, em pleno século XXI, nós criamos nossos ambientes: decoramos nossa casa, arrumamos nossa estação de trabalho, escolhemos os círculos sociais que frequentamos, etc… E eles nos moldam em resposta.

ENTÃO, voltando ao assunto que abriu esse email… Eu mesma só parei de fumar de uma forma consistente quando:

  1. Mudei de apartamento com meu namorado não-fumante… E perdi todas as “deixas” com as quais estava acostumada: o lugar onde costumava ir para fumar, onde deixava o cinzeiro (na real ESCONDI O CINZEIRO logo que mudamos), etc.

  2. Comecei a trabalhar para a Desinchá… Ao lado de pessoas que valorizam  uma vida saudável para muito além do corpo perfeito.

parabéns.gif

Mudar é sempre um desafio, mas você pode SIM fazer seu ambiente apoiar os hábitos que você quer construir.

O “pulo do gato” é facilitar ao máximo os comportamentos que você quer começar. (Por exemplo: Colocar as roupas da academia e os tênis  bem à vista, na sala de estar).

E também dificultar os comportamentos dos quais você quer se livrar (Por exemplo: deixar o celular bem longe da cama, ou conviver todo dia com pessoas que não acham legal fumar).

Assim seu ambiente vai te empurrar de forma contínua para a direção certa. E é pra lá que a gente quer que você vá. :-)

Escrito por:
Melina França 💚

__________________

PS: Cada pequena vitória merece uma comemoração. A cada dia que passo sem cigarro, reafirmo minha condição de EX-fumante. Digo a mim mesma “essa sou eu, yesssss”. Esse tipo de autoafirmação aos poucos vai moldando sua percepção de si. Aliás esse texto parte desse princípio, quer dizer, ESTOU USANDO ESSE ESPAÇO COMO TERAPIA, SERÁ?

PPS: Se você cair em tentação (e isso não é uma oração, amém), autocompaixão é uma emoção mais produtiva que a culpa. Errar não faz de você um fracasso, só quer dizer que você é HUMANO. Pratique voltar aos trilhos o mais rápido que conseguir.

PPPS: Conhece alguém tentando largar um mau hábito (ou criar um bom)? Encaminhe esse email! Vamos nos apoiar para caminhar (juntxs) na direção que a gente quiser. 💚

SaúdeDesincháComment