Quartzo faz bem pra saúde. Mas como usar essa pedra?

 
pedras-de-quartzo-na-agua-capa.png

Talvez seja uma pergunta estranha, mas qual é a sua familiaridade com as pedras de quartzo?   

Existem muitos registros que dizem que essas pedras são usadas pelas mais diversas sociedades desde a antiguidade.   

Cada tipo de quartzo era usado para uma finalidade, principalmente na Europa e Oriente Médio.   

Bem, nos dias de hoje ouvimos dizer muitas coisas sobre eles: que transformam, energizam, equilibram e até mesmo elevam a chamada “frequência energética” dos seres e elementos.  

Ou seja: estamos falando de uma terapia alternativa. A água, junto com o cristal, atuando no corpo, na mente e até no espírito. Assim como as águas saborizadas (que são feitas através da infusão do líquido com frutas, ervas e plantas), o quartzo transmite a vibração dos seus minerais para a água, e cada tipo cristal traz um benefício diferente para o corpo.  

Mas veja bem, querido leitor: muitas dessas pedras contém toxinas que são nocivas para nós, mortais (algumas até dissolvem quando entram em contato com a água).  

Então, fique atento para quais pedras são as indicadas:   

  • Ametista  

  • Quartzo Rosa 

  • Quartzo Incolor  

A crença é de que esses cristais trazem benefícios como calmante, alívio em dores de cabeça e tensões, melhora o sistema circulatório, mantém a saúde do organismo e até mesmo filtram energias negativas.  

Inclusive, por fazerem esse filtro, é recomendado que você limpe esses cristais enterrando-os em um vaso com terra.  

Mas o que tem a ver esses cristais com o Desinchá?  

Sorteio Misfit + Desinchá

Bom, já que eles podem equilibrar, energizar e elevar a frequência energética de uma pessoa, que tal fazer isso tomando nosso chá, unindo o melhor desses dois mundos?  

Quanto mais equilíbrio for gerado para a sua vida, melhor!   

Por isso, agora você pode ganhar uma garrafa personalizada com um cristal para energizar o seu Desinchá! Está rolando uma super promoção no Instagram da Misfit, dá uma olhada:

 
Assinatura Desinchá
 
 
 
SaúdeSilvio FigueiraComentário