Relatos nada românticos sobre a gravidez

Fomos ver de perto se a gravidez é um mar de rosas e descobrimos que não é não. Nós conversamos com 6 mulheres que tiveram seus bebês recentemente para saber os detalhes sobre os processos que envolvem o nascimento de uma pessoa. 

(Lembrando que: Desinchá não é recomendado para gestantes nem mulheres em fase de amamentação.)  

A verdade é que apesar da gravidez ser um fenômeno fascinante, as mulheres grávidas têm que engolir muito sapo, ignorar as inseguranças e estar o tempo todo buscando forças para se manter psicológica e fisicamente plenas em nome do bebê. 

Aline, Paula, Carol, Helen, Nicole e Isabela contaram suas experiências e as histórias estão aqui para inspirar a rede de apoio de cada mulher grávida por aí. Se você é uma delas, pode mandar o link deste texto como indireta para quem quiser. Ele foi feito para isso.   

Relatos nada românticos sobre a gravidez

“Não tem nada aqui”

Foi o que o médico disse rispidamente ao fazer o ultrassom na Aline depois do exame de farmácia ter dado positivo. Quando ele achou o bebê, ainda lançou “Você tem mioma, o risco de aborto é grande”.  É tudo que uma mulher que acabou de descobrir que vai ser mãe NÃO precisa ouvir. 

Pra completar, no primeiro trimestre a mulher não sente o bebê. “Eu ainda não tinha barriga, não sentia nada além de dor nas mamas e um sono incontrolável. Achei que ia ficar fazendo carinho na barriga que nem as mulheres do Instagram, mas isso demorou muito pra acontecer”, conta Aline. 

E não adianta forçar. A mulher não vira mãe assim do nada.  

A mãe vai sendo desenvolvida devagarzinho junto com o nenê. 

 

É muito mais pressão do que glamour 

Além de estar gerando uma vida e tendo seus órgãos mudando de lugar para o bebê ter espaço, as mulheres ainda têm que lidar com pessoas que passam a mão na barriga sem pedir, comentaristas profissionais e falta de educação de amigos e família. Segue lista das frases mais bizarras: 

  • Não sai não? 
  • Tem certeza que não são gêmeos?  
  • Olha o tamanho da barriga 
  • Nossa, não vai conseguir voltar ao seu peso.  
  • Nossa, tá muito grande! 
  • Mas esse bebê tá gigante! 
  • Tem certeza que não tem nenhum problema? 
  • Agora já era, não vai mais viver. 

 

A gravidez é solitária 

É comum que muitas pessoas se antecipem e tomem decisões pelas mulheres grávidas, como se elas não fossem capazes disso. “Ninguém fala que é complicado, que é difícil. Muitos amigos que viviam comigo antes, sumiram depois que eu engravidei”, conta a Carol.  

Paula diz que os hormônios mexeram tanto com ela que ela se sentiu fracassada. Não com a gravidez, mas com ela mesma, com o trabalho. Já a Nicole, além de se sentir muito cansada, diz que engordou 15kg acima do recomendado e se sentia muito mal por isso, por não conseguir se controlar.  

 

Dormir Vs. Xixi 

Palpiteiros sempre lembram as mulheres que elas precisam dormir agora porque depois que o bebê nascer vai ser impossível. “As pessoas falavam DORME AGORA, como se eu pudesse pegar meu sono acumulado e parcelar a hora que desse”, conta Aline.  

Conseguiu tempo para dormir? O desafio ainda não acabou. A bexiga é pressionada pelo útero durante a gravidez. Isso quer dizer xixi de 5 em 5 minutos. 

Fez xixi? Dormiu? Hora de encontrar uma boa posição para deixar a barriga. Isabela diz que tinha falta de ar quando ia para a cama “Não tinha posição para a barriga! Era muito desconforto”. 

 

Bom senso não é senso comum 

A Aline ouviu um “Tá grávida porque tem saúde, pode ficar de pé” no ônibus, em São Paulo. “Eu chegava muitas vezes no transporte com a barriga de 8 meses e os assentos preferenciais estavam ocupados por gente ouvindo música, dormindo. Eu com a barriga gigantesca, não posso cair, mas eu já levantei para um senhor de idade sentar”. 

“Sai, eu não aguento mais” 

No fim do último trimestre da gravidez, os hormônios estão malucos e tudo que a mulher quer é que o bebê nasça. “Enquanto estava todo mundo falando do tamanho do barrigão, eu estava sofrendo demais com pés inchados, dor nas costas, azia, falta de sono, preocupada com minha hipertensão e hormônios enlouquecidos”, conta Aline. 

Não se pode exigir que uma pessoa passando por tudo isso ainda esteja linda, feliz e radiante.  

 

“Eu sumi e passei a ser só mãe” 

Aline teve muito apoio dos familiares, mas a pior parte para ela foi ouvir “agora você vai ver, tudo vai mudar, você não vai viver mais, agora não existe mais Aline, só existe Aline mãe”. A ideia é da mulher se anular para assumir a carapuça mãe e não é bem assim. “Eu tento de verdade ser Aline esposa, Aline mãe, Aline profissional e Aline estudante”. Que missão! 

 

E o próximo, hein? 

Este é um assunto particular do casal ou só da mãe. “As pessoas julgam muito! Eu falava para todo o mundo que não queria estar grávida, que eu não gosto de estar grávida e elas ficavam horrorizadas”, conta Helen. 

Aprendizados e Boas Maneiras 

Depois de tudo isso, só nos resta mandar bem. Aqui vão algumas dicas para a rede de apoio ao redor da gravidez ser construtiva, positiva e confortável para as novas mamães: 

  • O corpo da mulher continua não sendo patrimônio público na gravidez. 
  • Ouvir um “Como você se sente?” é sempre muito bem-vindo 
  • A ajuda física é bem-vinda até para amarrar os sapatos 
  • Banco preferencial ainda é preferencial 
  • Quando o desafio físico se une ao desafio mental, as conexões com pessoas queridas podem ser um alívio. Seja presente. 
  • Não deixe de chamar uma amiga para sair porque ela está grávida. Chame. Deixe que ela decida. Não decida por ela.  
  • A fila preferencial de lojas e restaurantes não são uma frescura. Elas podem proporcionar mais conforto para quem realmente precisa.  

 

E você? Tem história sobre gravidez para contar pra gente? 

Deixe seu comentário! 

Assinatura Desinchá

Comente aqui

avatar