Loja Oscar Freire

Loja Rappi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Saiba o que pode causar sua falta de apetite

Fez um almoço bem gorduroso, comeu demais e horas depois está com falta de apetite? Esse texto não é para você! Isso que você está sentindo é super normal quando a gente excede com alimentos menos saudáveis. 

A falta de apetite também não é algo que afeta sua colega que ingere 1.500 kcal diárias enquanto você ingere 2.500 kcal. Lembre-se de que cada um de nós temos necessidades nutricionais diferentes.

A época do ano também pode influenciar aqui. Nos meses mais quentes, a tendência é sentir menos fome, apostar nas bebidas geladas e em alimentos leves – por exemplo.

falta de apetite

 

Então o que seria a falta de apetite? 

Falta de apetite é um sintoma de algo mais sério, um sinal de que há algo no organismo que não está funcionando bem. É uma redução considerável na vontade de comer, em que você fica horas sem ingerir nada, não sente fome, pula refeições. Na hora de comer, come igual a um passarinho. 

Se você ama comer determinado alimento, mas há dias não se sente disposto(a) a comê-lo, acenda o alerta. Pode ser apenas o reflexo de algo que está acontecendo aí dentro e você não identificou.  

Se você apenas não está afim de comer em um dia quentíssimo de verão, fica tranquilo. Isso é muito comum, porque sentimos mais sede e menos fome. Mas fique atento se essa falta de vontade de comer perdurar por mais tempo. 

 

Causas da falta de apetite 

Ansiedade 

Atire a primeira pedra quem não sente um tiquinho de ansiedade vez ou outra. Você sabia que, conforme classificação de 2019 da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o país mais ansioso do mundo? Pois é. São 18,6 milhões de brasileiros (9,3%) com algum tipo de transtorno de ansiedade

Isso deixa o nosso corpo em constante estado de alerta. A pessoa que tem esse sentimento de preocupação excessiva vivencia um elevado grau de estresse diariamente. Uma série de hormônios é liberada, porque o corpo se prepara para uma situação em que acredita existir potencial risco. 

Esse estresse constante se liga à falta de apetite. Conforme pesquisa publicada no Cureus Journal of Medical Science, há liberação do hormônio responsável pela corticotrofina (CRH), que afeta diretamente nosso sistema digestivo.  

No mesmo sentido, há maior liberação de cortisol, que aumenta a produção de suco gástrico, acelera o processo de digestão e faz o corpo reagir de forma mais eficiente. Porém, essa ativação pode provocar náusea, diarreia e indigestão. Resultado: um desconforto tão grande que leva à perda de apetite. 

Infecções e doenças crônicas 

A falta de apetite também pode ser indicativo de algo mais sério. Por isso é sempre bom ir ao médico também fazer checkups regulares e cuidar do que for necessário.

Infecções, independente da origem, podem diminuir nosso apetite. As doenças crônicas também possuem esse sintoma.  

Medicamentos 

Determinados medicamentos possuem a falta de apetite como efeito colateral. Em geral, desde que não surjam outros sintomas que interfiram em sua qualidade de vida, não é nada grave.  

Mas fique atento se o medicamento estiver interferindo em suas atividades diárias e converse com seu médico para ver a possibilidade de substituição. 

Drogas lícitas e ilícitas 

Álcool, cigarro e outras drogas, além de causar complicações para a saúde, podem interferir diretamente no apetite. O tabaco é um inibidor de apetite. E outras relações são óbvias: se você beber muita cerveja, que tem alto teor de carboidrato, se sentirá bastante satisfeito (e talvez tonto).

 

Combatendo a perda de apetite 

O primeiro passo é analisar o contexto. Perceba se não é algo momentâneo, que esteja relacionado a um dia de alimentação ruim ou à temperatura excessivamente alta (oi, verão!) Se estiver associado a outro sintoma ou persistir o quadro, procure seu(sua) médico(a) de confiança.  

Tenha especial atenção se a falta de apetite se relacionar à perda de peso rápida, o que pode levar a um grave quadro de desnutrição. Febre, cansaço extremo, aumento da frequência cardíaca, alterações hormonais e irritabilidade são sintomas que merecem atenção. 

A prática médica deve sugerir exames para identificar a causa e iniciar o tratamento. A orientação de um nutricionista também pode ser valiosa, principalmente se houver identificação de desequilíbrio de nutrientes.  

No caso de doenças relacionadas à saúde mental, buscar ajuda de um psicólogo ou psiquiatra será fundamental. Caso de anorexia, depressão e ansiedade só são combatidos com a orientação de profissional de saúde mental.  

Além disso, existem algumas boas dicas para combater a falta de apetite: 

  • Coma um “ativador” natural de apetite antes das refeições, como agrião, azeitona, alecrim, gengibre fresco, suco de cenoura e agrião; 
  • Consuma pequenas quantidades de alimentos nutritivos a cada duas ou três horas; 
  • Opte por refeições com alimentos leves, pouco ou nada gordurosos; 
  • Faça refeições vagarosamente e sem estresse; 
  • Evite alimentos com açúcar ou farinha branca
  • Faça exercícios físicos regularmente; 
  • Consuma álcool com moderação. 

Desinchá

Comente aqui

avatar