Dá pra ter saúde no Carnaval mesmo com os excessos

Finalmente, estamos prestes a comemorar mais uma chegada do nosso tão amado Carnaval.

O que isso significa?

Bom, para os amantes dessa data (como eu), significa passar 4 dias inteiros na rua, embaixo de muito sol, pulando atrás de blocos lotados de gente animada, onde tocam maravilhosas músicas da nossa cultura nas mais diversas cidades do Brasil. Se sobrar tempo e energia, vai até uma festa à noite também.

Ok, falando assim não parece ser tão divertido, mas vocês sabem que é.

Já para as pessoas que (infelizmente) não se importam com as festividades, rola pelo menos uma viagem, um tempo bom pra sair, relaxar, atualizar aquela série que ficou parada e fazer tudo o que não sobra tempo durante uma semana comum.

Dá pra ter saúde no Carnaval mesmo com os excessos

Depois dessa breve introdução, vamos ao ponto do texto de hoje:

Por estarmos sempre falando de saúde e vida saudável, o mais óbvio era eu vir aqui e falar para as pessoas que não curtem pular Carnaval sobre diferentes maneiras de aproveitar esse feriado. Mas aí seria só mais um texto entre tantos ensinando uma rotina saudável e passando dicas de programas para fazer.

O desafio de hoje é muito mais difícil: convencer o folião de que é possível curtir sem se destruir e ter mais saúde no carnaval. Permitindo alguns excessos, é claro, pois não quero fazer um texto que atinja um total de ZERO pessoas.

O foco desse nosso guia de sobrevivência será 1) aguentar o dia todo de folia, 2) estar disposto nos 4 dias dessa farra toda e 3) como passar o feriado todo livre do assédio (afinal, isso também torna tudo mais saudável: física e mentalmente). E farei isso com um passo a passo para facilitar a sua vida:

Alimente-se bem antes de sair de casa

Esse é o primeiro passo para o sucesso na sua jornada, meu caro amigo folião. Mas comer bem não significa comer muito, e sim se alimentar com coisas leves que forneçam bastante energia, como açaí com granola e suco de frutas, crepioca de frango e água de coco, sanduíche de atum com salada ou uma massa integral com legumes.

O que evitar:

Essa tá fácil, vai. Evite coisas com muita gordura, doces e frituras. Nada que possa te deixar “pesadão” e atrapalhar seus pulos e sua cantoria no meio do bloco.

Se for demorar pra voltar pra casa, leve comidinhas para beliscar

Eu já até imagino a sua cara ao ler isso. Mal dá pra levar o celular, quem dirá um melão. Mas se acalme, não precisa ser uma refeição completa. Castanhas e nozes (os populares NUTS), barrinhas de cereais ou proteicas e frutas secas são alimentos pequenos e práticos para transportar por aí, é só ter um bolso. Essas comidinhas saciam a fome e são uma boa fonte de energia. Sei que dificilmente alguém fará isso, mas não custa tentar. Essa ajudinha pode salvar seu feriado!

E ah: pode beber água à vontade. Manter-se hidratado é prioridade número 1 para manter a saúde no Carnaval. A dica é: sempre que acabar sua dose de bebida (que ajuda bastante a desidratar), tente intercalar com bastante água.

É bom que o seu intestino esteja funcionando bem

Caso não esteja, você vai ter mais dificuldades para limpar seu organismo durante o feriado. Tudo que fica ali parado passa a produzir substâncias tóxicas que podem voltar para o organismo. O segredo é consumir muitas fibras, que estão presentes em frutas como maçã, pera e ameixa, vegetais crus e cereais integrais como aveia, quinoa e trigo. E mais uma vez: água sem parar. BEBA Á-G-U-A!

Proteja o seu fígado

Chegando em casa depois de um cansativo feriado de compromissos com o Carnaval, é de bom grado que você se livre o quanto antes do álcool que restou em seu corpo. Portanto, reduza ou evite o consumo de carnes, principalmente vermelhas, nos dias pós excessos. Invista em alimentação natural e saudável. Beber bastante água é lição pra vida, então não é porque o Carnaval passou que você vai parar de se hidratar. Trate de continuar. Atividades físicas também são ótimas para expelir as toxinas através do suor. E pronto, temos um belo combo para te salvar.

Não olhe só as calorias

A quantidade de calorias que um alimento possui é menos importantes do que seus nutrientes. Ou seja: um alimento rico em fibras, gorduras boas, vitaminas e minerais pode (e deve) ser consumido mesmo se tiver a mesma quantidade de calorias de algum alimento menos nutritivo que você esteja evitando.

Use filtro solar

Não é só uma alimentação próxima do correto que vai fazer seu Carnaval ser mais fácil. Ignore a voz do Pedro Bial que aparece na sua mente toda vez que você lê essa frase e apenas passe o protetor solar antes de ir para os blocos. Além da proteção necessária, evitando problemas de pele, o filtro solar é ótimo para ajudar a colar o glitter! Então dica dada.

Ah, eu sei que você provavelmente não vai seguir esse próximo conselho, mas vamos lá: se for possível levar o protetor com você para passar mais vezes durante o dia, ótimo.

Além disso, chapéus, bonés e tudo o que for possível para te proteger do sol escaldante que costuma aparecer nesse feriado são muito bem vindos.

Já falei pra beber água?

Aqui vai mais um motivo para você beber água até não aguentar mais: não é porque é líquido que vai limpar o seu organismo. Além da bebida alcoólica (óbvio), refrigerantes e até mesmo sucos não são boas opções. Por isso, de novo: ÁGUA! Um Desinchá também vai bem. 😉

Confete

Agora, é importante entrar em um assunto mais delicado: suas atitudes também colaborar com a saúde no Carnaval não só para você, mas para todos. Evitar o assédio é muito, mas MUITO mais simples de se fazer do que uma dieta, exercícios físicos ou planejar uma determinada rotina (para quem está disposto a entender, claro).

Não acho que seria adequado eu, na posição de homem, falar sobre assédio com o conhecimento que o assunto exige. Mas acho que posso, pelo menos, apontar o básico que todo homem deveria saber.

Por exemplo, o que NÃO FAZER:

  • puxar cabelo
  • segurar pelo braço
  • pegar pela cintura
  • intimidar
  • prender contra a parede
  • chegar beijando
  • puxar pela fantasia ou por algum acessório
  • usar palavras ofensivas
  • comentários sexuais
  • achar que a roupa é um convite
  • palavras vulgares e ofensivas
  • constranger a pessoa
  • xingar
  • agredir
  • agarrar à força

Só de seguir essas regras básicas, pode ter certeza que as suas festividades serão muito mais saudáveis e, melhor ainda, as de muitas outras pessoas também serão. Lembrando: depois do “NÃO”, qualquer outra atitude é assédio.

Tenho a sorte de trabalhar com mulheres incríveis que às vezes me pegam pela mão e me ensinam muito. E um espaço nesse post precisa ser feito por elas, que podem dizer coisas com muito mais propriedade.

 

“Este será o primeiro Carnaval no qual a Lei da importunação sexual está valendo, leia e informe-se sobre o que pode ser feito. Ah! A campanha #CarnavalSemAssédio vai disponibilizar um Ônibus Lilás em São Paulo, com uma equipe capacitada para receber e orientar mulheres e LGBTs vítimas de assédio e violência. A regra de ouro é: na dúvida, pergunte. Se a pessoa disser sim, está tudo bem”

— MAYARA YUMI – ANALISTA DE MARKETING

 

 

“Vale lembrar também que se omitir é ser conivente. Se você vir alguma mina sendo assediada, fale. Tome partido. Juntxs somos sempre mais fortes.”

— MELINA FRANÇA – ANALISTA DE MARKETING

 

 

“Ser didática quando o assunto é assédio é difícil haha (rindo de nervoso)! Muito já foi falado sobre como abordar, ou como não abordar alguém, mas vale lembrar o pós também. Várias pessoas querem curtir o carnaval beijando várias bocas (ou não) e tá tudo bem! Independente de como elas estão curtindo, na vibe de pegação ou não, não vale ser um vacilão depois que pegou por achar que alguém não tem valor, cada um se diverte como quer e todos merecem respeito. #paz”

— LARISSA SAMPAIO – PRODUTORA

 

Amigos, depois dessas 3 aí de cima, eu não tenho mais nada a dizer. Dei uma volta meio (bem) grande para conectar dicas de como aguentar a maratona do Carnaval de uma maneira saudável com o assédio, algo tão agravado nessa data. Mas espero ter conseguido passar essa mensagem sobre bem estar (geral) no feriado mais famoso do Brasil de maneira clara.

Lembrando:

  • Beba água. O tempo todo? O tempo todo.
  • Depois do “NÃO”, qualquer outra atitude é assédio.

 

Assinatura Desinchá

 

 

 

Comente aqui

avatar