Loja Oscar Freire

Loja Rappi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Sono excessivo: o que fazer se você tá sempre com sono?

Você faz parte do time que não pode ver um sofazinho que já vai deitando, porque o sono é constante? É importante acender o sinal de alerta por causa do sono excessivo. Pode ser uma disfunção no organismo, um sinal de alguma doença, um distúrbio do sono. 

Veja bem: PODE ser. Porque a ressaca de uma noite na balada ou uma semana excessiva de trabalho também podem fazer você ficar com sono no dia seguinte. A quarentena devido à pandemia também nos deixou fora do eixo.

Então vamos com calma. 

sono excessivo


Escala de sonolência de Epworth
 

Você já ouviu falar na escala de sonolência de Epworth? Eu também não conhecia. Ela foi criada pelo Dr. Murray Johns, especialista em sono, Esse teste simples e rápido avalia a chance de um indivíduo cochilar ou dormir em algumas situações rotineiras. 

Ele é usado em vários países para fazer a detecção de sono excessivo diurno. Para cada ocasião seguinte, você deve se dar uma nota conforme a probabilidade de ocorrência de sono ou não. 

As situações são as seguintes: 

  • Sentado, quieto, em um lugar público (teatro, reunião ou palestra); 
  • Andando de carro por uma hora sem parar, como passageiro; 
  • Sentado quieto após o almoço sem bebida alcoólica; 
  • Em um carro parado no trânsito por alguns minutos; 
  • Sentado e lendo; 
  • Assistindo TV. 

Para cada um delas, você deve se avaliar conforme a probabilidade: 

  • Nota 0: nunca cochilaria; 
  • Nota 1: pequena probabilidade de cochilar; 
  • Nota 2: probabilidade média de cochilar; 
  • Nota 3: grande probabilidade de cochilar. 

Agora some as notas para cada questão, que varia de 0 a 18. Se seu teste deu resultado acima de 10, acenda a luz amarela. Existe uma sonolência em você. Agora, se o total deu acima de 16, a sonolência é grave, e é recomendado procurar um especialista em medicina do sono. 

Mas, obviamente, antes de ir ao médico, você correrá na internet e digitará “causas de sono excessivo”. Já fizemos esse trabalho, não se preocupe. 

Possíveis causas de sono excessivo 

O sono excessivo pode se dar por alguns motivos. Primeiro, faça uma análise de como foi seu dia anterior e sua noite de sono. Se você teve aquele dia cheio de atividades cansativas, físicas ou mentais, seu corpo pode não ter se recuperado o suficiente. 

Uma noite de sono ruim também te causará cansaço no dia seguinte, fazendo você abrir mais boca do que o normal.  

Se não houve nada disso, e você sente sono excessivo constantemente durante o dia, vamos às possíveis causas. 

Medicamentos 

Muitos medicamentos utilizados podem causar sonolência. Na prática clínica, os mais conhecidos são os benzodiazepínicos: clonazepam, diazepam e alprazolam. Por apresentar efeitos colateriais, há um controle especial por parte dos médicos em relação a seus pacientes.  

Os opióides (codeína, morfina, metadona) são analgésicos potentes, mais utilizados em pacientes com câncer e com doenças osteoarticulares (como a artrose). Eles também podem causar sono excessivo. 

Há ainda outros medicamentos, como antipsicóticos (haloperidol/haldol, quetiapina, clorpromazina), antieméticos, antiepilépticos (fenitoína, fenobarbital, gabapentina) e antialérgicos. Lembra quando você estava com rinite, tomou um remédio e logo em seguida capotou? Pois é. 

Por fim, as drogas Z (zolpidem, zopiclone) são obviamente medicamentos que causam sonolência, porque são específicos para induzir o sono em pessoas com insônia. Aí acontece aquela sonolência residual durante o dia. 

“Mas eu não uso nada disso”. Bom, pode não ser um bom sinal, porque outras causas prováveis se relacionam a doenças. 

Doenças 

Algumas doenças que podem nos acometer causam sono excessivo durante o dia. Veja as principais: 

  • Apneia do sono: pessoas que, durante o sono, têm paradas na respiração por breves períodos (apneia) não conseguem ter uma noite restauradora, o que causa muito cansaço e sono do dia seguinte. A síndrome da apneia obstrutiva do sono (obstrução das vias aéreas durante o sono) também prejudica o indivíduo e pode levar ao sono excessivo durante o dia.  
  • Narcolepsia: a característica principal da narcolepsia é a sonolência excessiva, em que o indivíduo tem ataques incontroláveis de sono durante o dia. Em geral, a doença se dá por deficiência de hipocretina, hormônio produzido no cérebro que regula o sono.  
  • Diabetes: quando descompensada, causa cansaço frequente devido à falta de glicose nas células, o que nos deixa sem energia para fazer as tarefas do dia a dia. Além disso, pode levar ao emagrecimento e à diminuição dos músculos (cansaço muscular). 
  • Infecções: infecções, mesmo aquelas mais simples, como gripes e resfriados, causam uma resposta completa do corpo para combater os microrganismos envolvidos. Ao utilizar tanta energia, é normal o indivíduo se sentir cansado. 
  • Doenças cardíacas: doenças como insuficiência cardíaca e arritmia podem causar tonturas frequentes e cansaço, pois o coração não consegue bombear, de forma eficaz, sangue para todo o corpo. 
  • Anemia: sem ferro no sangue, podemos ficar desanimados, sonolentos e cansados. Você, mulher que menstrua, reparou como na época da menstruação pode se sentir mais cansada? 
  • Fibromialgia: doença que pode provocar uma dor no corpo todo, especialmente nos músculos. Frequentemente é associada ao cansaço persistente, dentre outros sintomas. 
  • Alterações da tireóide: os hormônios são responsáveis pelo metabolismo no corpo e, se afetados, pode causa cansaço como resposta a alteração.  
  • Depressão: a depressão causa cansaço físico e mental, e desânimo, afetando todo o corpo do indivíduo. 

Se nada disso é familiar para seu caso, procure um médico para avaliar sua condição.  

O perigo do sono excessivo na terceira idade 

Quem nunca viu um vovô ou vovó cochilando no banco da praça, no meio da tarde? Apesar de ser comum vermos pessoas da terceira idade com essa prática, o sono excessivo pode indicar alguns perigos. 

Uma pesquisa da Academia de Neurologia concluiu que há maior risco de esse público com essa característica ter câncer, diabetes e doenças cardiovasculares. O autor do estudo foi Maurice M. Ohayon, neurologista da Universidade de Stanford (EUA). 

Pesquisadores analisaram 10 mil indivíduos, sendo 34% com mais de 65 anos, em dois momentos, com 3 anos de intervalo. Eles avaliaram o estado de saúde e a prevalência da hipersonia (sono excessivo em quem teve uma noite com sete ou mais horas de sono).  

Quase 25% dos idosos apontaram sentir muito sono, e 41% desses consideravam a sonolência um problema crônico. Nesta turma, os cientistas atestaram o perigo: a chance de desenvolver pressão alta ou diabetes em três anos foi duas vezes maior se comparados àqueles que ficavam despertos durante o dia.  

Em comunicado à imprensa, Ohayon disse que “prestar atenção no sono dos idosos é capaz de ajudar médicos e familiares a flagrarem mais cedo condições sérias de saúde”. 

 

Para todos nós, um cochilo pós almoço de cerca de 30 minutos é bastante benéfico. Mas o sono excessivo é um sinal de alerta. Se este é o seu caso, investigue com seu médico de confiança. Certamente, você se sentirá melhor quando dormir bem. =) 

Desinchá Noite

Comente aqui

avatar