Loja Oscar Freire

Loja Rappi

Lojas parceiras

Desinblog

Desinchef

E-books

Cursos

Quem somos

Trabalhe Conosco

Por que o yoga é tão popular entre as mulheres ambiciosas?

É claro que homens praticam yoga, mas algo que reparei ao entrar em muitos estúdios e olhar os números das nossas alunas no Desinchá Academy é que nós somos maioria. Desde a primeira vez que pisei numa sala de aula, as mulheres eram presença dominante. Uma era diretora numa multinacional, outra médica, outra tirou do papel a própria consultoria…  A impressão é que, em todos os cantos, mulheres ambiciosas vivendo em centros urbanos e que trabalham duro no dia a dia são atraídas por essa prática. Fica a pergunta, então: por que fazer yoga é tão popular entre elas? 
 
Acredito que muito disso esteja na interseção de corpo, mente e espírito que o yoga trabalha. No fim, essa prática traz aprendizados que nós podemos aplicar para a vida inteira. Esse texto levanta algumas possibilidades, como você confere a seguir. 😊  

 

Por que o yoga é tão popular entre as mulheres ambiciosas?

 

#1 Yoga é uma forma de tratar nossos corpos com gentileza 

Durante a prática, somos incentivadas a aceitar nossos limites e, ao mesmo tempo, ir até o limite da nossa capacidade.  Aos poucos vamos ampliando aquilo que conseguimos fazer, mas é importante aceitar onde estamos. 
 
Ouvimos a mensagem de que nossos corpos são perfeitos do jeito que são, e temos à nossa disposição todas as ferramentas das quais precisamos.  
 
O objetivo de ir ao tatame é cuidar de nós mesmas, integrando corpo, mente e espírito. No mundo de hoje, é difícil encontrar espaços que reforçam essa mensagem. 

 

#2 Fazer yoga nos ajuda a desacelerar 

Uma das partes mais interessantes é que somos incentivadas a sincronizar nossa respiração com os movimentos que fazemos, o que leva muita gente a dizer que yoga é uma forma ativa de meditação
 
É uma prática que fala sobre fluidez, onde ao mesmo tempo em que exercemos esforço, também existe um quê de graça e facilidade. 

 

#3 Essa é uma forma de ficar presente (mesmo nos momentos mais difíceis) 

Esse ponto tem um pouco a ver com o que falamos no item anterior. Um dos aprendizados mais contraintuitivos do yoga é que o melhor jeito de lidar com os momentos (e as posições) mais difíceis é respirando e buscando calma interior. 

 

#4 É uma forma de apreciar como nos movemos pelo mundo 

Exatamente por essa noção de que o fluxo é mais importante do que simplesmente colocar nossos corpos em poses isoladas, passamos a apreciar a forma como nos movemos pelo mundo – com graça, força, e mesmo nas nossas limitações. 
 
Internalizar esse tipo de coisa só reforça a importância de cuidar da gente mesma. O caminho é mais importante do que o destino final. Se você sentir dor, não precisa fazer a pose. Se normalmente você consegue ficar na posição, mas hoje o seu corpo está dizendo “não”, é perfeitamente normal. 

 

#5 Ao fazer yoga, nos acostumamos a ficar confortáveis diante do desconforto 

Yoga pode lhe levar a momentos desconfortáveis. Às vezes é difícil sustentar uma postura, e a vontade é simplesmente desmontar… Nessas horas, o caminho para atravessar o desconforto é através do relaxamento e da respiração. 
 
Se acostumar a ficar confortável mesmo diante de uma situação desconfortável é um dos maiores aprendizados que sentimos com o nosso corpo e que podemos levar para a vida. 

 

#6 Yoga ensina que não devemos nos comparar com as outras pessoas 

Não importa se você está começando agora ou não, sempre vai ter alguém que faz posições mais difíceis com mais facilidade, sustenta isometria por mais tempo, e está num nível mais avançado… 
 
Ainda assim, para fazer qualquer movimento, é preciso focar no que está acontecendo no seu tatame, com o seu corpo. É aquela qualidade de presença sobre a qual já comentei aqui em cima. 

 

#7 Você se lembra que sempre pode melhorar 

Pouco a pouco, você consegue sustentar posições que antes pareciam impossíveis. Às vezes o progresso chega a ser imperceptível a olho nu. 
 
E sempre existem novas posições, posturas mais avançadas com as quais você pode desafiar seu corpo e sua mente. Assim como na vida, sempre existe espaço para nossa própria evolução. 

 

#8 Todo mundo cai. O importante é como você lida com isso 

Lembro de quando tentei fazer o corvo pela primeira vez, e caí de cara no chão. Esmaguei meu lábio com os dentes, e imediatamente senti o gosto metálico de sangue na boca. Meu tombo fez tanto barulho que as outras pessoas na aula viraram para olhar. 
Nessa hora, a professora logo começou a falar sobre a importância de se arriscar. Quantas vezes na vida a gente tenta, mesmo sabendo que existem grandes chances de cairmos? Esse é um aprendizado que podemos internalizar. O importante é tentar e lidar com os tombos da melhor forma que a gente conseguir. 

 

#9 Nós aprendemos a ter flexibilidade para não quebrar 

Uma das coisas mais incríveis do yoga é que essa prática trabalha diversas habilidades corporais: força, equilíbrio e flexibilidade. Inclusive muita gente busca aulas de yoga porque quer mais amplitude de movimento. Quando a gente aprende a respeitar e testar nossos limites, entendemos que mesmo se a gente melhorar 1 milímetro, isso já é progresso. 
 
A ideia de trabalhar o seu corpo desse jeito é que você não se machuque por forçar demais, rápido demais.  

 
Ao fazer yoga, podemos tirar um tempo para ficar em silêncio, na nossa própria companhia, sem alimentar pensamentos, e nos concentrando apenas na nossa respiração, e na forma como nos movemos no tatame.  
 
Quando você é faz parte do grupo de mulheres ambiciosas que competem de igual para igual no mercado de trabalho e desenvolveu uma “casca dura”, existe uma certa vulnerabilidade em subir em cima do tatame e deixar essa persona de fora. 
 
Quando tanto das nossas vidas nos trazem situações delicadas, estressantes, competitivas ou cansativas, encontramos um senso absurdo de segurança naquilo que o yoga nos mostra como fazer: nos mover pelo mundo com graça e força, humildade e empatia. 
 
Quando existe pressão para performar e alcançar, uma aula de yoga nos ensina que às vezes a vida pede aceitação. Que pausar e respirar pode nos mostrar a saída para o desconforto. Que ao fim da prática, ao aquietar o corpo e a mente, nos sentimos mais preparadas para lidar com o que quer que a vida jogue na nossa direção. 

Programa Hábito Zen

Comente aqui

avatar